Indiciadas 21 pessoas investigadas na Operação Gênesis, da PF

 

A análise de todo o material apreendido durante a Operação Gênesis, em Porto Seguro, resultou no indiciamento de 21 pessoas pelos crimes de falsidade ideológica, corrupção passiva ativa, organização criminosa, além de crimes licitatórios e lavagem de dinheiro. Os nomes e cargos dos indiciados não foram revelados pela polícia.

O resultado do inquérito policial foi concluído no dia 02/02/18, mas as informações só foram divulgadas uma semana depois, pela Polícia Federal (PF).

A operação, deflagrada no início de agosto do ano passado pela PF, Ministério Público Federal (MPF) e a Controladoria-Geral da União, investigava a formação de uma quadrilha para atuar em fraudes em licitações e no desvio de verbas públicas destinadas à contratação de serviços de transporte escolar do município, no extremo sul da Bahia.

A organização era composta por servidores da prefeitura de Porto Seguro, agentes políticos, empresários e também “laranjas”. O grupo atuava no esquema desde 2013, direcionando as licitações para uma empresa que também era evolvida no crime.

De acordo com as investigações, a empresa participava do esquema há quatros anos e teve o contrato renovado diversas vezes. Dentro deste período, a prefeitura de Porto Seguro repassou cerca de R$ 37 milhões para a prestação do serviço de transporte escolar, que tinha estruturas precárias.

Além da quadrilha indiciada, também foram decretados diversas medidas cautelares como o bloqueio de bens e valores dos envolvidos. Ao todo, a polícia ouviu cerca de 65 pessoas. O inquérito será encaminhado para o MPF em Eunápolis.


Fonte: A Tarde/Uol

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2018 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade