O Ministério da Saúde atualizou no dia 16/02/18 as informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde sobre a situação da febre amarela no país. No período de monitoramento (de 1º de julho/2017 a 16 de fevereiro de 2018), foram confirmados 464 casos de febre amarela no país, sendo que 154 vieram a óbito. Ao todo, foram notificados 1.626 casos suspeitos, sendo que 684 foram descartados e 478 permanecem em investigação, neste período.

A região com maior ocorrência da doença continua sendo o Sudeste, com os estados ocupando as três primeiras colocações como os locais de maior número de notificações, confirmações e óbitos. Em se tratando de casos, Minas Gerais ocupa o 1º lugar, com 225. São Paulo está em 2º, com 181 casos confirmados e Rio de Janeiro, em 3º, com 57. Com exceção o Espírito Santo, que não registrou óbitos, todos registram maior número de mortes. A Bahia ocupa a nona colocação em número de notificações, mas descartou 18 delas e está investigando as outras quatro. Não houve morte registrada no estado, segundo os dados do Ministério da Saúde.

No ano passado, o país registrou, de julho de 2016 até 16 fevereiro de 2017, 532 casos confirmados e 166 óbitos confirmados. Os informes de febre amarela seguem, desde o ano passado, a sazonalidade da doença, que acontece, em sua maioria, no verão. Dessa forma, o período para a análise considera de 1º de julho a 30 de junho de cada ano.

Campanha

O Ministério da Saúde reforça a importância da vacinação da população dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo durante a campanha contra febre amarela. Dados preliminares dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo apontam que, até 16/02, 4,3 milhões de pessoas foram vacinadas, sendo 3,9 milhões com doses fracionadas e 379,9 mil com doses padrão. O número corresponde a 21% do público-alvo previsto nos dois estados. A recomendação é que os estados continuem vacinando até atingir alta cobertura.

A previsão é que sejam vacinadas 20,4 milhões de pessoas, sendo 10,3 milhões em 54 municípios de São Paulo e 10 milhões em 15 municípios do Rio de Janeiro. No estado do Rio de Janeiro, 1,2 milhão de pessoas foram vacinadas (12,1%), sendo 963,4 mil com a fracionada e 257,5 mil com a padrão. Em São Paulo, a previsão para o término da campanha é neste sábado (17), quando acontece o Dia D de Mobilização. O estado vai avaliar a necessidade de prorrogação da campanha. No total, 3 milhões de paulistas foram vacinados, o que representa 29,6% do público-alvo, sendo 2,9 milhões de pessoas com a fracionada e 122,4 mil com a padrão.

Fracionamento da vacina na Bahia

Na Bahia, a campanha de fracionamento da vacina de febre amarela já começou (em 19/02/18). O estado pretende vacinar 3,3 milhões de pessoas em 8 municípios. A adoção do fracionamento das vacinas é uma medida preventiva e recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) quando há aumento de epizootias e casos de febre amarela silvestre de forma intensa, com risco de expansão da doença em cidades com elevado índice populacional. A dose fracionada tem apresentado a mesma proteção que a dose padrão. Estudos em andamento já demonstraram proteção por pelo menos oito anos e novas pesquisas continuarão a avaliar a proteção posterior a esse período.

O Ministério da Saúde, no ano de 2017 até o momento, encaminhou às Unidades da Federação o quantitativo de aproximadamente 64,5 milhões de doses da vacina. Para os estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia foram enviados cerca de 54,3 milhões de doses, com objetivo de intensificar as estratégias de vacinação, sendo 22,7 milhões (SP), 12 milhões (MG), 12 milhões (RJ), 3,7 milhões (ES) e 3,9 milhões (BA).


Distribuição dos casos de febre amarela notificados: 1º/7/2017 a 16/02/2018

UF (LPI)*

Notificados

Descartados

Em Investigação

Confirmados

Óbitos

AC

1

1

0

-

-

AP

2

2

0

-

-

AM

5

2

3

-

-

PA

24

20

4

-

-

RO

8

6

2

-

-

RR

2

2

0

-

-

TO

12

7

5

-

-

AL

2

1

1

-

 

BA

22

18

4

-

-

CE

2

2

0

-

-

MA

1

1

0

-

-

PE

1

1

0

-

-

PI

3

3

0

-

-

RN

1

1

0

-

-

SE

1

0

1

-

 

DF

33

20

12

1

1

GO

31

20

11

-

-

MT

1

0

1

-

-

MS

5

4

1

-

-

ES

64

51

13

-

-

MG

617

200

192

225

76

RJ

66

5

4

57

24

SP

663

284

198

181

53

PR

31

21

10

-

-

RS

15

6

9

-

-

SC

13

6

7

-

-

Total

1.626

684

478

464

154

 


Fonte: Ministério da Saúde


No quarto e último dia do Carnaval oficial de Porto Seguro, na terça-feira, 14/02/18, na Passarela do Álcool, o cantor Gusttavo Lima como atração principal sacudiu a galera do alto trio elétrico, cantando grandes sucessos da música sertaneja, passando também pelo funk e o axé.
Com seu sotaque mineiro, Gusttavo Lima convidou um fã para cantar com ele no trio e falou com o público que “Não tem lugar melhor para encerrar o Carnaval”.
Em seguida, entrou a banda Virou Bahia, prata da casa, sob o comando do vocalista Gabriel Brito. No cardápio musical da noite, teve ainda Amanda Santiago e a banda Morcegada. Pelas ruas, os blocos culturais Brasil Chama África, O Bloquinho, os Folhas, Tive Linha e Barguncetes mostraram porque cada vez mais se transformaram em grandes atrações do Carnaval.

Na terceira noite teve blocos, Chiclete e Psirico

Na noite anterior, a terceira noite do carnaval da Passarela, em 12/02, a abertura do circuito cultural foi marcada pela animação do bloco Adão e Eva e em seguida, com as Cityguets , animados pela participação do cantor Walber Luiz com mais variados estilos musicais. Na madrugada, subiu ao trio a banda Chiclete com Banana, não deixou ninguém parado ao relembrar sucessos consagrados a exemplo do "Diga que valeu", "Amor de Julieta", "Cabelo Raspadinho", na levada do vocalista Kill. Fechando a terceira noite com pagode, a banda Psirico, comandada por Márcio Vitor, arrastou a multidão ao som das famosas "Lepo Lepo", "Tome Tome”.

Estrutura

Segundo a prefeitura, durante os dias de festa, foram disponibilizados para os foliões um serviço de pronto atendimento em saúde, com equipe multidisciplinar, estrutura de 5 leitos para estabilização, composta por unidade de oxigênio, monitor cardíaco, ventilador mecânico, desfibrilador, poltronas de hidratação, medicamentos e insumos, além da disponibilidade de ambulância estrategicamente posicionada nos casos emergenciais. De acordo com as informações, foi realizada uma média de 40 atendimentos por noite, na maioria dos casos por ingestão excessiva de bebida alcoólica.
A Vigilância Sanitária afirmou que manteve inspeção a comercialização dos alimentos e bebidas consumidos por moradores e turistas, tendo sido feitas mais de 130 vistorias nos dias de festa.
No espaço destinado ao Centro de Testagem e Aconselhamento foram realizados continuam exames para detecção de doenças sexualmente transmissíveis, além da distribuição de preservativos no local e por todo o circuito. Mais de 370 testes rápidos foram computados até o terceiro dia de folia.

Policiamento

Segundo o capitão Barbosa, da Polícia Militar, mais de 200 homens trabalharam no circuito e também fora dele, fazendo rondas, barreiras, revistas, abordagens e atuando também nos postos elevados instalados na Passarela. Também foram montados estandes da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros e Guarda Municipal.


Fotos: João Cordeiro


O Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-BA) realizou, de 15 a 17/02/18, blitz da operação "Paz no Trânsito", durante o Carnaval prolongado de Porto Seguro, no extremo sul baiano. Só no primeiro dia, a fiscalização realizou 106 abordagens, com quatro autuações, e teve o apoio da Polícia Militar.
"É a continuidade do trabalho que realizamos no Carnaval oficial, para garantir um trânsito seguro. Não houve acidentes nos locais em que atuamos.”
No Carnaval oficial de Porto Seguro, o Detran e a PM fizeram 1,4 mil abordagens, com 138 autuações registradas. Fazer ultrapassagem proibida, transportar passageiros em compartimento de carga e excesso de velocidade foram as infrações mais cometidas.


Fonte: Ascom Detran-BA

 

A análise de todo o material apreendido durante a Operação Gênesis, em Porto Seguro, resultou no indiciamento de 21 pessoas pelos crimes de falsidade ideológica, corrupção passiva ativa, organização criminosa, além de crimes licitatórios e lavagem de dinheiro. Os nomes e cargos dos indiciados não foram revelados pela polícia.

O resultado do inquérito policial foi concluído no dia 02/02/18, mas as informações só foram divulgadas uma semana depois, pela Polícia Federal (PF).

A operação, deflagrada no início de agosto do ano passado pela PF, Ministério Público Federal (MPF) e a Controladoria-Geral da União, investigava a formação de uma quadrilha para atuar em fraudes em licitações e no desvio de verbas públicas destinadas à contratação de serviços de transporte escolar do município, no extremo sul da Bahia.

A organização era composta por servidores da prefeitura de Porto Seguro, agentes políticos, empresários e também “laranjas”. O grupo atuava no esquema desde 2013, direcionando as licitações para uma empresa que também era evolvida no crime.

De acordo com as investigações, a empresa participava do esquema há quatros anos e teve o contrato renovado diversas vezes. Dentro deste período, a prefeitura de Porto Seguro repassou cerca de R$ 37 milhões para a prestação do serviço de transporte escolar, que tinha estruturas precárias.

Além da quadrilha indiciada, também foram decretados diversas medidas cautelares como o bloqueio de bens e valores dos envolvidos. Ao todo, a polícia ouviu cerca de 65 pessoas. O inquérito será encaminhado para o MPF em Eunápolis.


Fonte: A Tarde/Uol