Mesmo sem festa, hotéis se preparam para receber bem

Na rede hoteleira, com 100% de ocupação liberada para aqueles que possuem o selo Porto Mais Seguro, os empresários terão que se desdobrar para oferecer entretenimento aos hóspedes, que deverão lotar os hotéis e pousadas nesse final do ano. Mas, segundo Wilson Spagnol, vice-presidente da ABIH – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis regional, a rede está preparada para receber seus clientes, mesmo com a suspensão das festas, consideradas grandes atrativos na cidade.

“Com tranquilidade, a gente tem percebido que as pessoas estão cientes de que a situação é séria e deve ser tratada dessa maneira, mas também que elas têm que continuar a vida”, diz. Ele considera que na hotelaria de lazer, destinos com espaços abertos são os lugares preferidos, em lugar de shoppings ou hotéis de elevador e outros ambientes fechados. Segundo ele, haverá mudanças na maneira de servir as ceias de fim de ano, que serão um jantar com distanciamento social, protocolo e música ambiente.

“As pessoas estão muito conscientes da seriedade e responsabilidade. As barracas não devem ter shows, mas os clientes podem comer, nadar e isso é o que as pessoas querem essencialmente. Não estou vendo problema algum. São as atitudes cabíveis para o momento”, ressalta. O vice-presidente da ABIH acredita que há conscientização por parte dos clientes e colaboradores, e que com o selo, os protocolos, máscaras e distanciamento, o entretenimento será uma experiência positiva.

“Aqui no hotel estamos trabalhando desde 11 de setembro e não tivemos nenhum incidente”, relata. Wilson defende ainda que “turismo não é muvuca, necessariamente. É a fuga do cotidiano, reunir-se com as pessoas que ama, é cultura, é gastronomia. São pessoas desejando viver momentos memoráveis. E isso, garante, nós podemos oferecer de sobra.”

© 2021 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade