Novo pároco quer revitalizar Museu de Arte Sacra


Aos 44 anos, Frei Cristóvão Lima de Matos é o novo pároco da Paróquia Nossa Senhora da Pena, em Porto Seguro. Desde setembro de 2017 na função, ele, que há quatro anos é também administrador do Capuchins Hotel, no Centro, disse que sentiu-se grandemente acolhido pela comunidade quando de sua nomeação. Nascido em Riachão do Jacuípe, sertão baiano, foi criado em Feira de Santana.

O pároco se diz impressionado com a participação do povo na Festa da Padroeira, em setembro: “uma manifestação de fé que emociona”, resume, considerando muito expressivo o crescimento da participação dos fiéis, tanto no novenário quanto na festa. “Foi uma festa muito organizada, em que os pontos altos foram a bênção do santíssimo e a procissão”.

Frei Cristóvão está mobilizando algumas instituições com vistas à reforma do Museu de Arte Sacra de Porto Seguro, na antiga Igreja da Misericórdia, localizada na Cidade Histórica. Considerado um lugar extremamente importante para a comunidade e visitantes, o museu está fechado, sem condições de receber visitas, com problemas como a estrutura do telhado comprometida.

O pároco está em conversação com o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico Nacional), Secretarias de Cultura e Turismo e Uneb (Universidade Estadual da Bahia), para estabelecer parcerias e buscar ajuda. “Estamos nos articulando, mas é uma obra que requer tempo, pois precisa de autorização, paciência e segue uma burocracia, que às vezes é maior do que o recurso disponível”, afirmou. A reforma é uma prioridade nos planos, para a reabertura do museu.

Além disso, Frei Cristóvão planeja ampliar a acessibilidade à Igreja da Pena e divulgar melhor a Cidade Histórica e seu patrimônio, valorizando o espaço das igrejas, incluindo a Igreja de São Benedito. Para ele, “a maior riqueza de Porto Seguro é o seu povo”, que ele considera um povo hospitaleiro. “A gente se sente muito acolhido. São pessoas disponíveis para o trabalho, que mostram compromisso de evangelização na cidade”, testemunhou.

Uma mensagem que ele deixa para os porto-segurenses é de que haja união em prol do bem: “que possamos nos unir num objetivo comum de tornar a nossa região, tão visitada por pessoas do mundo inteiro, mais amada, mais divulgada no que ela tem de melhor. Aqui temos pessoas diferentes, gente de todas as nações, que chegam para visitar e passam a morar aqui, se tornando da cidade. É uma síntese de nosso Brasil. É um povo que luta e supera as dificuldades com garra e determinação”, define.

Os dias de missa na Igreja Nossa Senhora da Pena são: terças, quintas, sextas e sábados, sempre às 19h30. E domingo às 07h30, 17h30 e 19h30.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2017 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade

Por favor, publique módulos na posição offcanvas.