Índios bloqueiam BR 367 em Cabrália em protesto contra possíveis mudanças na Saúde

Família indígenas pataxó realizaram uma manifestação na quarta-feira, 27/03/19, causando o bloqueio de dois trechos da BR 367, que liga Porto Seguro a Santa Cruz Cabrália. Em Coroa Vermelha, onde se reuniram, eles protestaram contra o que seriam mudanças propostas pelo Ministério da Saúde, dentre elas, a extinção da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena).

Com a extinção da secretaria, as famílias indígenas passariam a ser atendidas pelos municípios.  Na cidade, a convocação das lideranças indígenas foi feita a todos as aldeias. Os manifestantes levaram faixas e cartazes chamando a medida de retrocesso e afirmando que a defesa da saúde indígena é também a preservação das futuras gerações.

Em outras regiões do país, outros povos indígenas também se manifestaram.  Em Governador Valadares/MG, um grupo bloqueou parcialmente as BRs-116 e 259, pela manhã. Foram usados pneus, tronco e galhos de árvores para fechar um lado da rodovia. Participaram das manifestações as etnias Maxacalis, de Teófilo Otoni; Krenak, de Resplendor; Pataxó, de Açucena; Kaxixó, de Martinho Campos e Tupiniquim, do Espírito Santo.

Nota do Ministério da Saúde

Sobre possíveis mudanças na Sesai, o Ministério da Saúde afirmou que ainda estão sendo objeto de análise, e que não está prevista uma descontinuidade de ações da secretaria.

"O Ministério da Saúde esclarece que a realização de ações na Atenção à Saúde Indígena desenvolvidas pela Secretaria Especial de Saúde indígena (SESAI) é uma das atribuições da pasta e que as eventuais mudanças no desenvolvimento dessas ações de vigilância e assistência à saúde aos povos indígenas ainda estão sendo objeto de análise e discussão. É importante deixar claro que não existe, no momento, medida provisória do governo federal que modifica a política indigenista do país e municipaliza os serviços de saúde de indígenas.

Cabe ressaltar que não haverá descontinuidade das ações. Para isso, o Ministério tem se pautado pela garantia da continuidade das ações básicas de saúde, a melhoria dos processos de trabalho para aprimorar o atendimento diferenciado à população indígena, sempre considerando as complexidades culturais e epidemiológicas, a organização territorial e social, bem como as práticas tradicionais e medicinais alternativas a medicina ocidental."


Fotos: Macdovel Valle

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2019 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade