Mulheres de Porto Seguro conquistam espaço especial

A empresária Jane Zanette Hartman

 

 

 

 

 

O termo do momento é “Empoderamento Feminino”. Empoderar: “dar ou conceder poder”. Na verdade, o vejo da seguinte forma: sempre tivemos o poder e agora estamos aprendendo a usá-lo. E isso é muito válido!

Defendo e apoio outras mulheres através da minha vivência diária, trabalho e ações, como atendimento e orientação voluntária. Acredito que a melhor forma de empoderar é oferecendo oportunidades de autoconhecimento, estudo e, principalmente, exemplos.

Cresci através do exemplo! Para citar alguns: através da minha mãe Norma, aprendi sobre dedicação e responsabilidade em seus 42 anos de serviço público. Através da minha tia Marilda, sobre o amor, e da minha irmã, a psicóloga Karenine Lidice, sobre determinação.

A lista de grandes nomes não para. Então, nesta série que iniciamos no Jornal do Sol - que sempre representou e divulgou a mulher da região, e que tenho a honra de encabeçar, trarei aos nossos leitores mulheres da Costa do Descobrimento que são exemplos de sucesso em diversos setores.

 

Entrevista: Jane Hartman

Quando comecei a selecionar algumas mulheres para serem entrevistadas, notei o quanto Porto Seguro é repleta de mulheres inteligentes e vencedoras, líderes nos meios onde vivem. A primeira entrevistada é a empresária Jane Zanette Hartman. À frente do Shalimar (ao lado do marido e dos filhos), ela também participa do Grupo “Amigas do Bem”, que realiza ações anuais como o Chá Bazar Solidário e o Leilão Solidário, onde toda a renda é revertida para instituições de caridade.

 

O que é ser mulher e empreendedora?

A mulher é a alavanca do mundo. Ela é força, trabalho, dedicação, carinho, beleza e compaixão. Esta nossa vontade interior de criar, de conquistar, de crescer, faz de nós grandes empreendedoras.

Quais foram seus maiores desafios à frente dos negócios?

Deixar minha família, amigos, profissão, em Santa Catarina e vir pra Bahia, em 1985, apostando em um grande amor que conheci na faculdade, nos Estados Unidos. Com relação a negócios, acredito na hora certa, no lugar certo. Nas energias que se concentram, nas "coincidências," nos caminhos que se cruzam. Acredito em estar atenta, "antenada" e foi exatamente o que aconteceu quando iniciamos nosso empreendimento. É claro que houve muito trabalho e dedicação, deixei de fazer muitas coisas que gostaria, pois, sem foco e sem empenho não se chega à lugar algum.

Jane com as filhas Diane e Vanessa Hartman

 

Quem foram suas maiores inspirações?

Como boa filha de origem italiana, minhas maiores inspirações foram meus pais. Fui criada para trabalhar, produzir e crescer sempre. Eles sabiam que não precisavam se preocupar em me preparar para ser mãe, mulher do lar, pois este modelo de mulher nós tínhamos em minha mãe. Meu pai foi o aglutinador da família e grande professor. Seu maior jargão era: "Tu tens que aprender".

Como foi formar duas mulheres, além de um rapaz, que também seguiram seus passos como empreendedores?

 

Maravilhoso! Ser mãe é uma dádiva, presente de Deus para nós, mulheres. Um aprendizado nato. Somos só instinto e amor.  Nossos filhos são três joias na nossa vida, cada um com características totalmente diferentes um do outro. Sempre digo que filho já nasce pronto. Tentamos retransmitir nosso aprendizado e mantê-los juntos. A maior riqueza é a família. Sucesso profissional é importante, mas a felicidade não está aí.

Como surgiu o Grupo Amigas do Bem? Qual o objetivo?

O Amigas do Bem surgiu da nossa necessidade de autoconhecimento e doação. Somos mulheres empresárias que se reúnem semanalmente para a leitura do evangelho no lar. Nosso maior ensinamento:  "Fora da Caridade, ou seja, fora do Amor não há salvação". Nosso objetivo é aglutinar o maior número possível de amigas, passando a mensagem de que juntas podemos muito e que podemos fazer a diferença. O sucesso desta mensagem está sendo tão grande que estamos realmente dando um bom suporte financeiro a algumas instituições idôneas de Porto Seguro, dirigidas por mulheres muito especiais, iluminadas, que se propõem a se doar integralmente e transformar a vida de crianças, adolescentes e idosos carentes de tudo.

O que você diria para mulheres, de qualquer idade, que sonham em ter seu próprio negócio?

Jane com as filhas Diane e Vanessa Hartman

É necessário eleger seu mestre, seu modelo a ser seguido. Trabalhe, siga seus passos, seja humilde e aprenda. Quando tiveres tuas próprias asas, alce voo próprio. Mas espere a hora certa, estude muito bem o mercado, tenha conexões e parceiros fiéis. Compartilhe, ajude para ser ajudado.

O que é uma mulher bem-sucedida?

A mulher bem-sucedida é aquela que ousa, que acredita e que trabalha.

Você se considera uma mulher bem-sucedida?

Sim, me sinto uma mulher completa. Feliz, porque a felicidade vem de dentro. Ela é o reflexo das nossas conquistas, da nossa paz interior.  Houve pedras sim, mas juntei todas porque nada nem ninguém tem o poder de nos desviar do nosso propósito maior: família e amor.


Kássia Luana é consultora de comunicação, imagem e vendas. Contatos fone (73) 99832-4856 (WhatsApp)

 

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2019 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade