Transporte público continua na pauta da Câmara

 

Durante a sessão de 28/11, da Câmara de Vereadores de Porto Seguro, o vereador Robinson Vinhas (PC do B) disse que quer saber porque há leis municipais votadas recentemente que não estão sendo cumpridas. Ele citou como exemplo a lei que determina que os motoristas de aplicativos devem se cadastrar na prefeitura: “desde o mês de agosto, eles tinham 60 dias para se apresentar com toda a documentação e ninguém se cadastrou. Estão trabalhando, deixando seus cartões de visita nos hotéis em Trancoso.” 

O concurso público municipal, previsto para os dias 31/11 e 01/12/19, continua sendo alvo de críticas. A mudança de data e as condições definidas para os adventistas, de ficarem confinados das 8h às 18h, já que não desenvolvem atividades seculares antes do pôr do sol do sábado, foram censuradas pelos edis. “Temos de 32 a 35 mil alunos. Não houve planejamento da empresa. É inadmissível, desrespeitoso e imoral colocar pessoas presas, confinadas.  “Os candidatos aos cargos pagaram para fazer a prova no domingo. A mudança da data é uma arbitrariedade”, disse Kempes Neville (PPS). A Câmara de Vereadores chegou a enviar um requerimento ao Ministério Público para uma avaliação sobre o caso, mas nenhuma mudança foi implementada.

A secretária Janis Souza, de Educação, que havia sido convocada pela Câmara para explanar sobre as atividades de sua pasta,  informou que passou mal durante a noite e, por isso, não teve como comparecer à sessão. A secretária pediu que fosse marcada uma nova data e, embora alegado motivos de saúde, não ficou livre das críticas dos edis.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2019 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade