Homenagem lembra vitórias e desafios femininos da atualidade

A sessão solene da Câmara de Vereadores de Porto Seguro homenageou as mulheres pela passagem do Dia Internacional da Mulher, no dia 08 de março de 2019. Estiveram presentes mulheres que atuam em diversas áreas, como serviço público, segurança, judiciário, direito, e educação. Nos discursos, vereadores e homenageadas falaram da importância da data, das conquistas e dos desafios que a mulher enfrenta diariamente.

Entre as homenageadas, a presidente da Câmara, Ariana Fehlberg, a prefeita Cláudia Oliveira, as secretárias de Educação Janes Alves e Assistência Social Lívia Bittencourt, a juíza Michelle Patrício, da Vara de Crimes contra a Mulher, a tenente Juliana da Costa, policial militar, a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, professora Juliana, a chefe de cerimonial da prefeitura, Jaqueline Maia, e as servidoras mais antigas da prefeitura, Maria do Rosário Santos, e da câmara, Márcia Alexandrina.

Em sua fala, a juíza Michele Patrício parabenizou todas as mulheres e ressaltou que é importante lembrar do que se conquistou e que é necessário fazer ainda muito mais para que novas conquistas sejam alcançadas. “Lamento saber como, nos dias atuais, temos uma sociedade que ainda não respeita a mulher nos direitos básicos, como o respeito pelo corpo dela e seu espaço. Mas os homens estão sendo ensinados pelas mães a respeitar e eu anseio que chegue o dia em que eu não seja mais necessária na vara de violência contra as mulheres.”

Alguns vereadores aproveitaram a oportunidade para homenagear suas mães e esposas, também citando o respeito como o mais importante ato de valorização da mulher. “O dia é resultado de muita luta em defesa dos direitos iguais. Minha homenagem às trabalhadoras, em especial às que sofreram com o feminicídio, às que não têm direitos reconhecidos”, disse Élio Brasil (PT), que citou fatos atuais e fez referência à morte das mulheres que lutavam por direitos humanos e trabalhistas mas morreram carbonizadas em 1911, em Nova York, no incêndio na fábrica de roupas.

Ao agradecer a homenagem, a presidente do Condir destacou o fato de que a violência é gerada pelo preconceito. “Ainda somos vítimas da intolerância, seja a religiosa, a social, a de gênero”. A prefeita Cláudia Oliveira, que também usou a tribuna, falou da intolerância e do fato de que o preconceito, muitas vezes, parte de outras mulheres. E considerou seu necessário determinação para as conquistas: “cada uma com sua essência, com sua beleza. O bom é ser diferente e devemos respeitar essas diferenças”.

Já, a presidente a câmara, Ariana Fehlberg considerou que o dia que originou a data especial foi o início da liberdade feminina. E contou sua história de menina criada da roça, sendo orientada a crescer de cabeça erguida. “Tenho o exemplo da minha mãe e do meu pai. Sou mulher, conquistei muitos desafios mas tive ajuda de homens muitos importantes para o meu crescimento. Devemos lutar sim, sem desprezar as diferenças. Não vamos perder a nossa essência feminina.”


Fotos: João Cordeiro

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2019 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade