Ônibus biblioteca e contadores de estórias incentivam a leitura

 

A falta de livros e a distância geográfica não podem ser barreiras para o incentivo à leitura. Pensando assim, um grupo de pessoas tomou a iniciativa de criar o Projeto Leitura em Movimento, usando um ônibus em formato de biblioteca, levando cultura, conhecimento, arte e entretenimento a áreas urbanas e rurais da Costa do Descobrimento.

O projeto Leitura em Movimento, criado em 2016, é um sebo itinerante e tem o objetivo de incentivar o hábito de ler e levar o acervo com baixo custo aos lugares onde não há livraria ou sebo. Os livros chegam às comunidades por meio de um ônibus customizado e atraente, que traz personagens contadores de estórias vestindo fantasias coloridas e cativantes para mexer com o imaginário de crianças e adultos.

 

A equipe é formada pelos parceiros d´O Livreiro, representado pelos proprietários José Maria e Aída Mendes e sua filha Lígia Mendes, que se transforma na Fada Dália; Instituto Mãe Terra, ONG de apoio a crianças, representada pela coordenadora Flaelma Almeida, a Fada Bela; Pétala Grecov, a Fada Flora, e o motorista Jabson Flores, um artista plástico que mantém exposições de seus quadros dentro e fora do país.

Além deles, o projeto, que já teve a parceria do Itaú Social, conta com a parceria da Veracel e da Prefeitura de Santa Cruz Cabrália, através da Secretaria de Assistência Social. “Os nossos parceiros é que fazem a gente conseguir rodar com esse ônibus”, disse Lígia, que conta estórias ao se transformar na Fada Dália.

Na pele da Fada Dália, a bióloga Lígia Mendes leva sonhos, fantasias e o gosto pela leitura a muitas crianças

 

A Fada Dália nasceu na primeira fase de outro projeto, o Filhos da Terra, coordenado por Flaelma, realizado para diagnóstico de trabalho infantil. “Ali eu fui preparada para ser a contadora de estórias e reunir informações junto com as crianças para o diagnóstico. E me encontrei nessa arte. Fortaleci a personagem com figurino diferente e uma maquiagem bacana”, conta, destacando que o lúdico desperta mais a atenção e melhora a concentração da criançada.

A contação de estórias acontece conforme o ambiente e a situação, e pode ser dentro ou fora do ônibus, despertando no público o gosto pelos livros. “A gente sabe que ler é hábito. Trabalhar com crianças nesse sentido é tentar fortalecer esse hábito para o resto da vida”, resume.

O ônibus

De acordo com Lígia, o ônibus foi adquirido e customizado no Estado do Mato Grosso do Sul e só é apto a carregar materiais. Em vez de poltronas, foram instaladas prateleiras e postos de leitura. A ideia surgiu a partir do sebo da família, que fica na rua do Mangue, no bairro Pacatá em Porto Seguro.

“A gente queria levar o sebo para alguns lugares e minha mãe começou a participar de alguns eventos na Faculdade Nossa Senhora de Lourdes, no Centro de Cultura, na Veracel; sempre levávamos nosso acervo, querendo já promover o incentivo à leitura e o Leitura em Movimento.” A plotagem do ônibus ficou por conta do Coletivo Mangue. O projeto, que já existia, mesmo sem esse nome, foi se fortalecendo.

Resultados e desafios

O Leitura em Movimento já circulou pelo Centro e bairros em Porto Seguro; aldeias, através do projeto Educação é Vida (com a Veracel); zona rural (com o Filhos da Terra); praias e interior de Santa Cruz Cabrália e Belmonte. Recentemente a equipe participou da Vila Criativa, projeto de incentivo à cultura em Santa Cruz Cabrália.

Pessoalmente ou pelas redes sociais, os feedbacks de quem passa pelo ônibus são sempre muito positivos, conforme relato de Lígia. “Lógico que pode sempre melhorar. Tem sempre algo novo a fazer, mas com certeza a gente tem uma receita que está dando certo.”

Entre os desafios, está o de conseguir financiar a ida do ônibus aos locais, inclusive os mais distantes, para mantê-lo rodando principalmente onde há menos acesso a livros, à leitura, lazer e entretenimento. “Às vezes, ele vai com recursos próprios e às vezes com parcerias. A gente faz o máximo para o ônibus rodar”, enfatiza. De estrada em estrada, o ônibus da transformação vai fazendo o seu papel. A iniciativa forma fadas da vida real e leva conhecimento para se escrever novas páginas na história de muitas vidas.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2019 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade