Setor de serviços recuou 4,8% em setembro

Em setembro de 2015, o volume do setor de Serviços do país recuou 4,8% em relação a setembro de 2014. Foi a maior queda da série iniciada em 2012, mantendo a sequência de resultados negativos no ano, com exceção de março de 2015 (2,3%). Todos os segmentos do setor tiveram quedas: Serviços prestados às famílias (-6,7%); Serviços de informação e comunicação (-0,7%); Serviços profissionais, administrativos e complementares (-8,1%), Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio 

(-6,4%) e Outros serviços (-9,9%). A taxa acumulada no ano ficou em -2,8% e a dos 12 meses, em -1,8%. O agregado especial das Atividades turísticas recuou 3,3%. Já a receita nominal dos Serviços não apresentou variação em setembro (0,0%), contra 1,1% de agosto e 2,1% de julho. Sua taxa acumulada no ano ficou em 1,8% e nos 12 meses, em 2,5%.
Na composição da taxa global de volume, o segmento de Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio deu a maior contribuição (-2,1 p.p.), seguido dos Serviços profissionais, administrativos e complementares (-1,6 p.p), Outros serviços (-0,5 p.p.) Serviços prestados às famílias (-0,4 p.p.) e Serviços de informação e comunicação (-0,2 p.p.) (Tabela 2).

RESULTADOS SETORIAIS
O segmento de Serviços prestados às famílias apresentou uma retração de 6,7% no volume de serviços em setembro sobre igual mês do ano anterior, contra -8,2% de agosto e -1,9% de julho, mantendo a série constante de variações negativas de volume a partir de maio de 2014. A variação acumulada no ano ficou em -5,0% e, em 12 meses, -4,5%. Os Serviços de alojamento e alimentação e Outros serviços prestados às famílias apresentaram retração de 6,1% e 9,8%, respectivamente.
A redução do poder aquisitivo da população ocupada em relação a setembro de 2014 (recuos de 4,3% no rendimento médio real habitual e de 6,1% na massa de rendimento médio real habitual, segundo a Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE) combinado com a variação de preços do item “alimentação fora do domicílio” acima da média global do IPCA de setembro, contribuíram para que o volume dos Serviços prestados às famílias recuasse 6,7%.
O volume dos Serviços de informação e comunicação teve variação de -0,7% em setembro, em relação a igual mês do ano anterior, contra 0,2% de agosto e -0,2% de julho. A variação acumulada no ano ficou em 1,0% e em 12 meses, 1,3%.
Os Serviços de tecnologia da informação e comunicação (TIC) tiveram variação de -0,9% em volume, com destaque para Telecomunicações (-2,4%) e Serviços de tecnologia da informação (4,7%). O volume dos Serviços audiovisuais, de edição e agências de notícias cresceu 0,8% frente à igual mês do ano anterior.
O volume de Serviços profissionais, administrativos e complementares recuou (-8,1%) em setembro, em relação ao mesmo mês do ano anterior, contra quedas de 5,1% em agosto e de 3,9% em julho. A variação acumulada no ano ficou em -3,1% e em 12 meses, em -1,9%.
Os Serviços técnico-profissionais recuaram 16,0% em volume, principalmente devido à retração nos Serviços de arquitetura e engenharia. Já os Serviços administrativos e complementares caíram 5,3%.
O volume dos Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio recuou 6,4% em setembro, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Em agosto e julho, o segmento recuava 4,3% e 8,5%, respectivamente. A variação de volume acumulada no ano ficou em -5,7% e, em 12 meses, em -4,0%. Por modalidade, os resultados foram: Transporte terrestre (-11,5%), Transporte aquaviário (25,4%), Transporte aéreo (4,5%) e Armazenagem, serviços auxiliares dos transportes e correio (-3,8%).
O volume de Outros serviços teve variação de -9,9% em setembro, contra -12,6% em agosto e -8,9% em julho. A variação acumulada no ano ficou em -8,4% e em 12 meses, -6,6%.
As Atividades turísticas recuaram 3,3% em setembro, em relação a setembro de 2014, contra crescimento de 0,1% em agosto e decréscimo de 5,7% em julho. O acumulado no ano ficou em -2,5% e o dos 12 meses, em -2,2%. Esse agregado especial abrange: serviços de alojamento e alimentação; serviços culturais, de recreação e lazer; locação de automóveis sem condutor; agências de viagens e operadoras turísticas e transportes turísticos.
RESULTADOS TRIMESTRAIS
No terceiro trimestre de 2015, o setor de serviços recuou 4,2% em relação ao terceiro trimestre de 2014. Todos os segmentos registraram resultados negativos: Serviços prestados às famílias (-5,6%); Serviços de informação e comunicação (-0,2%); Serviços profissionais, administrativos e complementares (-5,7%); Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (-6,4%) e Outros serviços (-10,5%). Já as Atividades turísticas recuaram 3,0%.

RESULTADOS REGIONAIS
Em setembro, na comparação com igual mês do ano anterior, quatro unidades da federação apresentaram variações positivas de volume: Rondônia (6,5%), Mato Grosso (5,7%), Roraima (4,7%) e Mato Grosso do Sul (3,3%). Distrito federal não apresentou variação significativa (0,0%) e as variações negativas mais intensas de volume foram observadas no Amapá (-13,4%), Amazonas (-13,3%) e Maranhão (-12,9%).
Entre as Atividades turísticas, segundo as Unidades da Federação selecionadas, as variações positivas de volume foram no Distrito Federal (8,2%), Goiás (3,1%), Santa Catarina (2,6%) e Rio de Janeiro (0,2%). Já as variações negativas foram no Rio Grande do Sul (-12,4%), Espírito Santo (-12,1%), Pernambuco (-6,3%), Bahia (-5,7%), Minas Gerais (-5,0%), São Paulo (-4,0%), Paraná (-3,4%) e Ceará (-3,1%).
Fonte: IBGE

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2018 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade