Novembro Negro leva cultura afro-brasileira e africana às salas de aula

 

O Novembro Negro, realizado pela Secretaria de Educação de Porto Seguro trabalha em 2019 com o tema "A história da África e da cultura afro-brasileira: memória, lutas e diversas formas de resistência e enfrentamento ao racismo". A programação oficial foi aberta dia 18/11, no Centro de Cultura, com a apresentação do Coral Municipal e uma reflexão sobre a tomada de consciência, ministrada pelo professor, Carleone Filho.

As atividades seguem durante todo o mês, nas escolas municipais, com oficinas de turbantes e bonecas abayomi; contação da história africana e afro-brasileira; workshop de dança; roda de diálogos, incluindo assuntos como imperialismo, colonização e descolonização do Congo e Angola, entre outros, além de experiências exitosas.

A agenda tem ainda um grande momento: a 14ª edição do Desfile Beleza Negra "As Mais Belas Chamas da África", com participação de estudantes da rede pública de ensino, com previsão de 30 participantes, entre moças e rapazes, na faixa etária de 14 a 21 anos.

"Nas escolas há uma extensa lista de ações acontecendo para mostrar a riqueza e as tradições da cultura afro-brasileira e africana, como exposição de telas, culinária, artesanato, música, danças e desfiles", explica a coordenadora de Promoção da Igualdade Racial e de Gênero da Secretaria de Educação, Gilmária Menezes.

O destaque da ação envolve a história do líder Zumbi dos Palmares, símbolo de resistência na luta contra a escravidão, combate ao racismo e luta pela integração da população afro-brasileira. "O objetivo é o resgate da identidade étnica e racial, além da construção, junto aos estudantes, de uma visão crítica que possibilite o combate e o questionamento de representações estereotipadas, colaborando para o processo de empoderamento de grupos e indivíduos silenciados no dia-a-dia", frisa a coordenadora


Fonte: Ascom PMPS

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2019 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade