Cheerleading: nova modalidade de esporte em Porto Seguro abre seletiva

 

Juliana Dória, de 24 anos, é agrônoma, mas sempre gostou muito de ginástica. Na Universidade Federal de Viçosa (UFV), onde estudou, conheceu o Cheerleading. Uma atividade física que tem saltos, danças, levantamento de pessoas e acrobacias, e que, dependendo do objetivo, também é considerado um esporte.

Ela se apaixonou tanto a ponto de querer formar uma equipe em Porto Seguro e para isso já está preparando uma seletiva que vai acontecer no dia 04/03/18 na Escola Mundaí, onde também serão os treinos. A temporada é de caça aos talentos. A jovem está determinada a criar um time e credenciá-lo à União Brasileira de Cheerleading, para representar a cidade no campeonato nacional em dezembro, em São Paulo. O objetivo é treinar moças e rapazes para apresentação no nível 2, que é mais simples e ideal para competição de uma equipe iniciante.

Ela explica que há duas modalidades de Cheerleading: uma esportiva e outra de animação de torcida. O trabalho de ambas envolve comprometimento e harmonia de uma equipe. O esporte, baseado em rotinas organizadas, com duração de 1 a 3 minutos, tem seis níveis de dificuldades, cada um com suas acrobacias próprias. Na modalidade esportiva, uma apresentação compete com outras em campeonatos próprios. E é esta modalidade que Juliana está trazendo para o Extremo Sul da Bahia, podendo ter até 50 cheerleaders na equipe.

“Quero criar a categoria All Star, que não precisa estar vinculada a nenhuma universidade e qualquer pessoa pode participar. Eles competem em categorias diferentes no campeonato nacional, ou seja, meu time daqui não competirá com meu time antigo”. A equipe de que fazia parte na universidade era formada por 42 pessoas.

Para participar da seletiva não é necessário ter experiência em firulas e acrobacias. Basta querer, estar animado e ter a partir de 11 anos. Juliana afirma que neste primeiro momento, serão avaliados liderança, desenvoltura e criatividade, numa apresentação de um minuto. A agrônoma fez cursos de aprofundamento no assunto, os chamados Cheercamps, e está contando com o apoio do treinador Romilsom Sales para montar o time.

Mais sobre o Cheerleading

Nasceu nos Estados Unidos e se expandiu como esporte pelo mundo com a emissão de competições pela ESPN Internacional (uma rede de televisão pertencente ao grupo Disney) e ao filme, do ano 2000, Bring It On. Era um esporte praticado por homens.

Em 1903, foi fundada a primeira fraternidade, a Gamma Sigma e em 1923 passou a ter a participação de mulheres, pela ausência de esportes femininos nas universidades e porque os homens estavam indo à guerra. Em 1960, a atividade começou a ser ensinada às meninas do high-school, sedentas por se tornarem cheerleaders. Competições organizadas começaram em 1967, com premiações da Fundação Internacional de Cheerleading (ICF).

O Cheerleading moderno iniciou em 1980, com incorporação de performances mais complexas. Em 1983 a ESPN transmitiu a Competição Nacional de Cheerleading High-School e em 1987 foi fundada a Associação Americana de Técnicos e Conselheiros de Cheerleading, quando passaram a aplicar regras universais de segurança para o esporte. Fonte: https://blogcheer.wordpress.com

No Brasil, o esporte foi introduzido oficialmente em 2008 pela Comissão Paulista de Cheerleading com treinamento a equipes vinculadas à Liga Paulista de Futebol Americano. Hoje, tem como representante oficial a UBC, entidade afiliada à International Cheer Union (ICU).

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2019 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade