Brasil encerra Parapan com melhor campanha da história

O Brasil encerrou sábado, 15/08/15, sua participação nos Jogos Parapan-americanos de Toronto com a melhor campanha da história. O time nacional conquistou 257 medalhas, sendo 109 de ouro, 74 de prata e 74 de bronze, o maior número absoluto e maior número de ouros. “Mais do que a vitória, esses números mostram um crescimento consistente. De 15 modalidades disputadas, o Brasil terminou em primeiro em 10”, destaca o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Andrew Parsons.

"Além disso, é possível notar um processo de renovação. Temos mais atletas jovens conquistando mais medalhas”, enfatiza Parsons. A equipe brasileira venceu 34% das provas disputadas - uma a cada três medalhas de ouro da competição foram para o Brasil.

 “Podemos notar uma evolução clara do Brasil. 78% dos nossos atletas conquistaram pelo menos uma medalha”, ressalta o Diretor Técnico do CPB, Edilson Alves Tubiba. “Esse resultado mostra que o nosso planejamento está no caminho certo. Todos os países cresceram. O Brasil, além de se consolidar como uma potência, ainda está brigando com esse crescimento dos adversários”.

Em oito dias de competições, 1608 atletas de 28 países disputaram 15 modalidades em Toronto. Eles derrubaram 239 recordes da competição, 70 recordes das Américas e 10 recordes mundiais. A delegação brasileira em Toronto contou com 271 atletas, 23 acompanhantes de atletas (atleta-guia, calheiro, goleiro e piloto) e 159 profissionais técnicos, administrativos e de saúde.

 “É uma campanha que nos deixa extremamente otimistas. É claro que a Paralimpíadas é uma competição diferente, mas entramos nesse último ano de preparação sabendo que podemos chegar à nossa meta, que é o quinto lugar no Rio”, explica Parsons.

O CPB busca ampliar o alcance do esporte paralímpico. Para isso, tem iniciativas como as Paralimpíadas Escolares, que contam com jovens atletas dos 26 estados e do Distrito Federal. “O CPB nunca esqueceu de trabalhar sua base”, justifica Brandão.

 Além disso, os grandes resultados acabam por cativar novos adeptos, explica Parsons: “Campanhas como essa aqui vai estimular mais gente a entrar no esporte paralímpico e assim vamos ampliando a nossa base de atletas”. Exemplo disso é o multimedalhista Daniel Dias – ele descobriu a natação paralímpica ao assistir os Jogos de Atenas 2004, quando Clodoaldo Silva ganhou tudo. Agora, sai de Toronto como o maior medalhista da competição, com oito medalhas de ouro - três delas em dobradinha com o próprio Clodoaldo.


Fonte: Assessoria de Imprensa do Comitê Paralímpico Brasileiro em Toronto - Foto: ©Fernando Maia/MPIX/CPB

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2017 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade

Por favor, publique módulos na posição offcanvas.