Evento da Rede de Percepção de Odor da Veracel integra voluntários e valoriza cultura local

Realizado há 13 anos pela área de controle ambiental industrial da Veracel Celulose, o Encontro da Rede de Percepção de Odor (RPO) aconteceu no dia 16/03/19, no município de Itapebi e contou com a participação dos 26 voluntários da rede. Diretores da Veracel e representantes da administração pública do município também participaram do encontro.

Neste ano, a Veracel trouxe uma novidade para o formato do evento: foi realizado fora da empresa e organizado em conjunto com os voluntários e moradores do município. “Tivemos a oportunidade de apresentar os talentos e riquezas que a cidade tem para todos os participantes da RPO e convidados”, comemorou a voluntária Hermínia Oliveira da Conceição.

O objetivo do encontro anual é apresentar o resultado das ocorrências de odor nas comunidades para os voluntários, realizar treinamento e integrar empresa e voluntários. A Rede é formada por moradores de Itapebi, Itagimirim, Belmonte, Santa Maria Eterna, Eunápolis, Mundo Novo, Projeto Maravilha, Vera Cruz e Barrolândia.

Valorização da cultura local

A ideia de planejar e executar o evento junto com os voluntários e moradores de Itapebi foi aprovada de imediato pela comunidade”, conta o coordenador de controle ambiental da Veracel, Tarciso Matos. Em parceria com a Veracel, a comunidade definiu a programação e mobilizou recursos para realização do evento. Todos os serviços para realização do encontro foram contratados no comércio local.

A recepção dos convidados foi feita pela Guarda Mirim do município que é formada por cerca de 80 jovens e coordenada voluntariamente por Romildo Jesus, policial militar há 16 anos. Jesus explicou que os jovens se encontram três vezes por semana para atividades educativas sobre princípios morais, éticos e cidadania. “Pais e responsáveis também são envolvidos nos encontros como forma de fortalecer a relação familiar”, ressaltou o policial.

O agricultor Clóvis Sobrinho e a professora aposentada Vilma Silva Ribeiro foram os contadores da história do município. Aos 75 anos, Sobrinho contou com detalhes sobre a importância de Cachoeirinha, povoado que surgiu às margens do rio Jequitinhonha e que deu origem ao município. O local era ponto de encontro dos tropeiros e das canoas que transportavam alimentos que abasteciam a região.

A professora Vilma, que possui cerca de 300 páginas com os mais diversos registros sobre Itapebi, apresentou alguns recortes desse estudo. Entre as memórias, os dramas das enchentes na cidade baixa na década de 70, a vassoura de bruxa que se alastrou pelos plantios da região e como a canoa de madeira com 19 metros, principal meio de transporte da época, era importante para o escoamento da produção de alimento e cacau.

Rede de percepção de odor

A Rede de Percepção de Odor (RPO) foi implementada pela Veracel, em 2005, em atendimento a uma condicionante ambiental da Licença de Operação da fábrica. Ela é formada por um grupo com 26 voluntários que são treinados para identificar o odor característico da produção de celulose. A iniciativa ajuda a empresa a manter o controle ambiental da fábrica de celulose. “O odor não faz mal à saúde, mas o cheiro pode incomodar as pessoas. Por isso, é de nossa responsabilidade garantir o melhor controle dos equipamentos de controle atmosférico, e as comunicações de odor realizadas pelos voluntários da rede nos ajudam a entender se estamos no caminho certo ou se precisamos melhorar”, reforçou Matos. No último ano, foram registradas apenas duas ocorrências de odor na comunidade.


Fonte: Ascom Veracel

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2019 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade