Oito jovens são executados em chacina no bairro Porto Alegre 1

Oito homens foram mortos a tiros e um foi ferido numa chacina ocorrida no bairro Porto Alegre I, em Porto Seguro, na noite do dia 05/02/17. De acordo com a Polícia Militar, os nove executores portavam armas de grosso calibre, como metralhadoras e fuzis, e estavam encapuzados e com roupas camufladas. Até o momento, não há informações sobre suspeitos ou motivação do crime.

Os assassinos chegaram numa picape Ranger de cor vermelha. Três homens foram abatidos do lado de fora da casa e os outros cinco no interior da residência.

 O sobrevivente da chacina, de prenome Atos, foi encaminhado para o Hospital Regional Luiz Eduardo Magalhães - HRDLEM-. O seu quadro clínico ainda não foi divulgado.

Os peritos encontraram no local do crime cartuchos de fuzil calibre 556.

 A Polícia Militar identificou as vítimas. Foram assassinados:

 Os irmãos Vinicius Bispo Santos, 25 anos, cabo da Aeronáutica; Victor Claudio Bispo, 18 anos, funcionário público municipal e o adolescente Caio Felipe Bispo, 14 anos, eram filhos de um policial civil. Igor Lelis dos Santos Santana, 21 anos, também era filho de um policial militar. Gabriel Lobo Fernandes, 22 anos, era filho de um soldado da PM morto em 2009 em Arraial d'Ajuda.

 Foram mortos ainda: Felipe Ricardo Lopes Borges, 27 anos, e os irmãos Gabriel de Jesus Feitosa, 25 anos, Leandro de Jesus Feitosa, 21 anos.

A Polícia Civil investiga o crime. O veículo usado pelos bandidos, que teria sido tomado de assalto por indivíduos numa moto preta horas dos assassinatos, foi abandonado e encontrado pela polícia no bairro Mirante. A picape se encontra no pátio da Delegacia Territorial.

Num áudio compartilhado nas redes sociais, uma mulher narra o ataque, no momento em que se ouve uma saraivada de tiros. Cartuchos de fuzil calibre 556 foram encontradas na cena do crime.

 Os executores retiraram as mulheres do recinto antes de iniciar os disparos.

"A casa era alugada para realização de festas. Inclusive, em dezembro, bandidos já haviam atirado na fachada desse imóvel, mas não havia ninguém no local", afirma o major Anacleto França, comandante do 8º Batalhão. O dono da casa também foi executado pelo grupo.


Com fotos de Taísa Moura/TV Santa Cruz

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2018 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade