Vedação à ideologia de gênero passa pela primeira votação

A sessão da Câmara desta quinta-feira, 21/06/18, foi, mais uma vez tumultuada do início ao fim. O maior motivo foi a inclusão do Projeto de Lei 023/18, na pauta do Legislativo para primeira votação. O referido PL trata da vedação de doutrinação de gênero nas escolas do município e é de autoria do vereador Kempes Neville, o Bolinha (PPS). Outro assunto que levou manifestantes ao plenário foi a proposta da prefeitura de cortes salariais.

O plenário foi ocupado por estudantes da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB); professores do ensino municipal e outros servidores que estavam em assembleia na praça ACM, em frente à Câmara, em protesto contra a proposta do Executivo de cortes de salário e benefícios salariais; e por representantes de evangélicos, como pastores e membros de igrejas.

Após discussões acaloradas sobre a polêmica pauta, o projeto foi aprovado na primeira votação, mas ainda terá que passar por outra votação antes de seguir para o Executivo. Doze vereadores votaram favoráveis ao projeto, um vereador votou contra (Ronildo Vinhas - PMDB), alegando maior necessidade de discussão, e dois vereadores se abstiveram de votar (Aparecido Viana – PPS e Dilmo Santiago – PROS).            

A votação e os discursos foram realizados sob vaias, gritos de apoio e frases de efeito por parte do plenário. Para Chico Cancela, representante grupos favoráveis à ideologia de gênero nas escolas, “esse debate envolve não só refletir sobre as questões de sexualidade, mas pensar todo o processo de formação da nossa sociedade, perceber que existe, sim, uma diversidade de gênero na sociedade, e que a escola precisa ser um espaço para refletir sobre a diversidade”. Ele afirmou que protocolou uma solicitação de audiência pública para o debate do assunto.

Bolinha, o autor do projeto, disse que defende o debate sobre o que é ideologia de gênero. Segundo o vereador, os que são contrários ao PL pregam a desconstrução familiar e afirmou: “respeitamos a diversidade, mas não podemos concordar com banheiros compartilhados nas escolas, senão corremos o risco de aumentar os números de violência sexual”. O edil encerrou sua fala desafiando os manifestantes a apresentarem uma comprovação científica de ideologia de gênero.

Cortes salariais dos funcionários públicos

A manifestação Sobre os cortes salariais, o presidente do Sindicato dos Professores (APLB), Neilton da Cruz, afirmou que há uma previsão de conversa com o Executivo e com o Legislativo, nos dias 25 e 26/06/18, respectivamente, para tratar do assunto.

Transporte escolar

Os estudantes foram à Câmara com o objetivo de chamar atenção das autoridades também sobre a falta de transporte público para atender a demanda da universidade. Segundo Radharani Arruda, representantes dos discentes, apenas um ônibus faz o transporte de alunos para a universidade, no turno vespertino. “Este ônibus não atende a demanda de estudantes. Tem dia que chegam a ir 150 estudantes para no mesmo ônibus, onde a capacidade é de 70 pessoas. A gente corre um risco muito grande. Estamos querendo que ampliem o transporte e que seja disponibilizado um ônibus de linha com horários que condizem com a nossa aula”. Os alunos querem ainda, uma reunião com a prefeitura, vereadores, Ministérios Público Federal e Estadual e universidade, para resolver o problema.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2019 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade