Tumulto impede a eleição para presidência da Câmara

Cadeiras derrubadas, gritaria e tumulto foram o desfecho da última sessão ordinária do ano da Câmara de Vereadores de Porto Seguro, nesta quinta-feira, 20/12/18. Após a aprovação de importantes projetos de lei e apresentação das chapas para início do processo de votação da nova mesa diretora para o biênio 2019/2020, os ânimos de alguns funcionários públicos, presentes no plenário, se exaltaram, impedindo a continuidade da reunião para eleição.

Para o pleito, estavam definidas duas chapas: Porto Seguro Acima de Tudo, com Ariana Fehlberg (PR) como presidente, Lázaro Lopes (PP) como vice; Evanildo Lage - Vanvan (PMDB) no cargo de 1º secretário e Robério Moura (PSB) no cargo de 2º secretário. A outra chapa se apresentou com Geraldo Couto - Contador (PHS) na presidência, Abimael Ferraz - Bibi (PSC) na vice, Evaí Fonseca (PHS) como 1º secretário e Wilson Machado (PSC) como 2º secretário. Nos corredores da política, afirmam-se que esta seria a equipe apoiada prefeita Cláudia Oliveira.

A questão é que uma nova chapa se apresentou na hora da votação, tendo Kempes Neville - Bolinha (PPS) como candidato à presidência, Lázaro Lopes como vice, Ariana e Robério nas 1º e 2ª secretarias, respectivamente. Neste momento, funcionários do município que se declararam contrários à nova formação, discutiram no plenário, chegando a iniciar uma briga corporal e a derrubar cadeiras.

O clima de tensão se estabeleceu, e, com o tumulto, o presidente Evaí encerrou a sessão, sem marcar nova data para a eleição. Não se sabe porque, desta vez, não havia uma viatura da polícia estacionada no passeio da Câmara, como acontece em dias de votações mais polêmicas. Quando a PM chegou, a confusão já havia sido amenizada.

Em seus discursos, usualmente, os vereadores afirmam que não há oposição à gestão municipal. Mas a formação surpresa de uma terceira chapa pode significar um distanciamento em relação à prefeita Cláudia por conta de algum descontentamento. 

Convite para assumir a Educação

Ao usar a tribuna no pequeno expediente, o vereador Ronildo Vinhas - Nido (PMDB) citou ter visto, em rede social, na página do vereador Dilmo Santiago (PROS) a afirmação de que Evaí Fonseca havia sido escolhido para ser o novo secretário de Educação. Ao parabenizar o atual presidente, Nido cobrou mais atenção à educação nos distritos de Trancoso e Pindorama: “Se o senhor for realmente para esta pasta, dê um pouco mais de atenção a esses lugares, porque a educação por lá está deixando muito a desejar. Em Pindorama, por exemplo, quando chove, molha mais dentro das salas do que fora”. Mas Evaí rebateu a afirmação e disse que nunca houve a proposta para a pasta. “Pretendo ficar na Câmara. Em momento algum vai ter esta proposta. E eu, de pronto, não vou aceitar.”

Projetos aprovados em 2ª votação

Do Executivo foram aprovados projetos de lei substitutivos sobre os seguintes assuntos: cargos e salários dos servidores municipais e estatuto dos servidores - ambos revogam as leis de 2001; estatuto do Magistério público e plano de cargos e salários de profissionais da Educação; extinção e criação de cargos públicos e criação de novas vagas para provimento mediante concurso público. Na pauta também estava prevista a votação de terceirização do serviço público, mas foi retirada para nova discussão.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2019 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade