Ariana Fehlberg é a primeira mulher presidente da Câmara

A eleição para a mesa diretora da Câmara de Vereadores de Porto Seguro finalmente aconteceu nesta quinta-feira, 10/01/19. Eleita com 10 votos numa chapa única e numa sessão extraordinária sem tumultos, Ariana Fehlberg (PR) é a primeira mulher presidente da Casa e assume a cadeira num momento de expectativas, depois muitos desencontros e até uma guerra judicial na passagem de biênio.

Primeira candidata declarada em grupo de oposição ao apoiado pelo Executivo, Ariana Fehlberg fez um discurso de valorização à democracia. Durante o tumultuado processo eleitoral, a chapa, única, não resistiu a algumas pressões e sofreu mudanças durante a campanha interna. Primeiro, Ariana, que já era candidata à presidência, cedeu espaço a Kempes Neville (PPS), o Bolinha, que acabou declinando na reta final, tendo que contentar-se com o cargo de primeiro secretário, com o retorno de Ariana como cabeça. Lázaro Lopes (PP) foi eleito vice-presidente e Robério Moura (PSB) o segundo secretário.

Participaram da eleição 11 vereadores. Num momento de euforia, Lázaro Lopes, candidato a vice, anulou o voto sem querer, escrevendo sua escolha no verso da cédula. Mesmo declarando verbalmente que havia votado em Ariana, não pôde ter seu voto contabilizado como favorável. Apesar do susto, o incidente não mudou em nada o resultado da eleição.     Dilmo Santiago (PROS), líder de Governo na Câmara, e Renivaldo Braz, o Cacique Renivaldo (PV), que eram do grupo distinto, votaram favoráveis à chapa única.

Estavam ausentes da reunião extraordinária, o ex-presidente Evaí Fonseca (PHS), o ex-vice, Aparecido Viana (PSD); Abimael Ferraz, Bibi (PSC); Wilson Machado (PSC), que havia entrado com mandado judicial pedindo eleição por voto aberto; Geraldo Couto, Contador (PHS), candidato a presidente pela antiga chapa apoiada pelo Executivo, e Robinson Vinhas (PC do B).

Após a eleição, os discursos falaram de unificação de objetivos, mas também da necessidade de a Câmara manter sua independência em relação ao Executivo. Muito se falou em democracia, bem-estar do povo e coerência. Marcadas por muita emoção dos vereadores presentes, também fizeram parte dos discursos as declarações de gratidão a Deus, aos colegas vereadores que apoiaram todo o processo e aos eleitores.  

“A minha volta foi Deus. Tinha que ser assim. Queremos fazer um trabalho transparente, trabalhar pelo povo. A Casa precisa disso”, disse Ariana. Questionada sobre o motivo que teria feito com que se levantasse um grupo diferente do proposto pelo Executivo, a vereadora respondeu: “O que aconteceu foi interno. Acredito não ter nada a ver com o Executivo. O grupo foi formado por amizade. Queríamos que todos aderissem à ideia de ter uma presidenta mulher.”

Para Dilmo, cuja posição exige o bom relacionamento com ambos os Poderes, o papel foi de negociar do início ao fim das campanhas internas e, no final das contas, assumir aquele que parece ter apresentado maiores possibilidades de aceitação dentro e fora da Casa.

Após a eleição, embora tenham declarado por diversas vezes na tribuna a necessidade de manter coerência em seus discursos, os vereadores teriam uma reunião marcada com a prefeita Cláudia Oliveira, para o qual pareciam ter pressa de seguir.

A nova presidente

Ariana Fehlberg nasceu em Pindorama, distrito de Porto Seguro, em 1980. É formada em Pedagogia e tem raízes políticas na mãe, a ex-vereadora Maria Leide, a tia Nega, a quem sempre acompanhou. Ela afirma que este acompanhamento a influenciou concorrer ao mandato de vereadora, para o cargo que foi eleita com 644 votos.

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2019 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade