Porto Seguro divulga balanço de situação epidemiológica em 2017


A Secretaria de Saúde de Porto Seguro apresentou, dia 15/12/17 , o balanço de atividades desenvolvidas na cidade em relação a situação epidemiológica no período de 01 de janeiro a 11 de dezembro de 2017. Dentre as ações, àquelas voltadas ao combate do mosquito Aedes Aegypti (transmissor da dengue, chikungunya e zika) por meio do Programa Municipal de Controle às Endemais - PMCD, da Vigilância em Saúde,
Notificações e casos registrados
De acordo com os dados do PMCD, Porto Seguro mantém Índice de Infestação Predial satisfatório em 1%. De acordo com a Secretaria de Saúde, isso significa que não encontra-se em situação de alerta ou risco. O Ministério de Saúde considera este percentual como aceitável.
Em Porto Seguro, de 1º de janeiro até 11 de dezembro, foram notificados 1090 casos suspeitos de dengue, tendo 11 confirmações. Quanto a chikungunya 743 notificações com 31 casos positivos. O zika vírus obteve 210 registros suspeitos, mas sem confirmação (Fonte: LACEN/2017).
Atividades realizadas em campo
Segundo o relatório, 111.957 mil imóveis foram inspecionados, por meio de visitas de rotina realizadas pelos agentes de combate às endemias, com a finalidade eliminar e tratar os possíveis criadouros do mosquito. Os números incluem residências, terrenos baldios, construções, entre outras edificações.
As ações de educação popular em saúde e de mobilização social chegaram a 36.519 intervenções, como mutirões, faxinaços, palestras, atuações nas escolas, feiras de saúde, panfletagens e visitas domiciliares, segundo a Secretaria. No item mutirões as equipes promoveram, com apoio conjunto das Secretarias de Saúde, Meio Ambiente e Serviços Públicos, 21 faxinaços em diferentes bairros e distritos totalizando 170 toneladas de materiais inservíveis recolhidos que poderiam se tornar criadouros do Aedes Aegypti.
De acordo com o relatório, os agentes realizaram bloqueios pelas esquipes de operações especiais, responsáveis pela eliminação mecânica dos criadouros e tratamento adequado, que registraram 762 atuações usando a Bomba Costal UBV leve (Perifocal) e 232 fumacês. Os bloqueios de transmissão são efetivados quando ocorrem notificações de casos de dengue, zika ou chikungunya na casa ou local de trabalho da pessoa com suspeita da doença. O trabalho é feito em um raio de 150 metros a fim de ampliar o bloqueio e impedir a expansão de novos criadouros.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2018 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade