Suvaco do Cabral celebra 100 anos de samba

O Bloco Suvaco do Cabral foi fundado em 2016 e tem como objetivo principal evocar a temática do samba como elemento cultural da brasilidade. O bloco vai para a avenida este ano homenagear o centenário desse estilo musical, que foi marcado por nomes como Donga, Tia Ciata, Carmen Miranda, Pixinguinha, Ismael, Mauro de Almeida, Nelson Rufino, Dorival Caymmi, entre outros. 

O Suvaco sai no dia 04/03, fechando o Carnaval, com oficinas, campanhas com a temática da sustentabilidade, nas quais serão recolhidas latinhas de cerveja e refrigerante para doação à ONG Amigos dos Animais, e, claro, muito samba.

A concentração será às 16h00, no Trevo do Cabral. A programação inclui a Lavagem do Suvaco, às 17h30 e desfile às 18h00, animado pela Bateria do Suvaco.

Para participar, o folião deverá adquirir a camisa do bloco, que está sendo vendida a R$ 80,00, dando o direito a seis fichas de água e cerveja.

“O Samba-Enredo deste ano homenageia todos os ilustres sambistas da nossa história. O Suvaco tem como tema o samba, que é um aspecto muito importante da nossa cultura”, afirma a empresária Renata Tardin, uma das organizadoras.

Samba para o Carnaval 2017 - Suvaco do Cabral

 

“No centenário do samba, o Suvaco é o chefe da folia”

 

Chegou, chegou

Festejado é o centenário que chegou (ele chegou!!!!) (bis) 

É centenário (bis) ôoooh

O samba mostra ao mundo o seu encanto

 

Chegou Suvaco

E no compasso vem mostrar nossa raiz

E tem samba de primeira (tem sim)

Meu gingado é capoeira (é sim)

E as baianas que esplendor

Tia Ciata, hoje canto em seu louvor

É mestre Donga, Pixinguinha e Ismael,

Mauro de Almeida hoje o samba é lá no céu

Nosso Suvaco é o chefe da folia

E apresenta nosso grande trovador

 

Sou Sambahia

Onde habita a alegria

Dignidade, resistência é o meu valor

Na passarela é Suvaco e magia

Pode aplaudir que é o centenário que chegou

Chegou, chegou

Festejado é o centenário que chegou (ele chegou!!!!) (bis)

 

Sou o Suvaco que exalta os sambistas

Nelson Rufino, Batatinha e Riachão

Edil Pacheco e Caymmi em harmonia

Pra relembrar que o samba nasceu na Bahia

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2017 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade

Por favor, publique módulos na posição offcanvas.