Abertura do Carnaval teve entrega da chave ao Momo e lavagem da Passarela

 

 

A abertura oficial do Carnaval 2018 de Porto Seguro, em 08/02/18, reuniu imprensa, representantes da prefeitura, de blocos, Polícia Militar e amantes da folia, no prédio da secretaria de Turismo, Passarela do Álcool. O prefeito em exercício Beto Nascimento fez a entrega da chave da cidade ao Rei Momo, e acompanhou a lavagem da Passarela pelas baianas.

De acordo com Richard Alves, secretário de Turismo, a expectativa para a festa é positiva. “O verão já foi muito bom, e o Carnaval é sempre um momento muito esperado. Porto Seguro já criou uma tradição de ser procurado como o destino mais desejado nessa época, devido ao Carnaval da Passarela e à apresentação dos blocos culturais, que este ano são mais de 40, oferecendo entretenimento diversificado”. Segundo o secretário, o número de turistas que voltam à cidade neste período é muito alto.

Ao falar sobre os investimentos no Carnaval da cidade, o prefeito em exercício Beto Nascimento citou o trabalho da segurança feito pelas polícias como desafiador e falou da parceria com o Governo do Estado para a contratação de bandas, para o que foram gastos pela Bahiatursa, R$ 300 mil.

Apesar de a cidade apresentar carências em diversos segmentos como infraestrutura, transporte, atendimento e embelezamento da cidade, especialmente no Centro, o prefeito falou da importância do Carnaval na economia do município, citando uma pesquisa feita junto ao Sebrae sobre o retorno econômico da festa.

“Segundo dados de recolhimento do ISS (Imposto Sobre Serviços), a média mensal da movimentação da hotelaria durante o ano de 2017 foi de R$ 38 milhões. Para cada real gasto na hospedagem em hotéis, o turista gastou outro real no comércio ou serviços. Isso significa que no Carnaval do ano passado houve um incremento de aproximadamente R$ 80 milhões (o dobro) na economia local”. O prefeito considerou que este montante é um retorno 40 vezes maior do que o investimento que está sendo feito pelo município no Carnaval de 2018 (R$ 2 milhões).

Na coletiva de imprensa para abertura da festa, também foram citadas algumas mudanças que, segundo a prefeitura, promovem mais critério para participação dos blocos nos desfiles, como o edital de chamamento, que lista pré-requisitos para habilitação dos blocos que queiram estar na programação.

Por esta razão, afirmou o secretário, “alguns blocos alegaram falta de apoio. Mas o apoio está sendo feito por edital, que é a forma mais democrática de garantir a participação. Esse tipo de Carnaval Cultural tem que se profissionalizar”. Ao todo, 35 blocos estão se credenciando e para eles serão destinados um total de R$ 50 mil. Mas a verba só estará disponível após o Carnaval.

Entrega da chave

Para o papel de rei Momo foi escolhido o Chef Cristiano Oliveira, a quem foi entregue simbolicamente a chave da cidade. Diz a tradição, que por quatro dias, ele comanda a festa. O rei Momo é inspirado na mitologia grega.

Momos era um personagem mitológico que caracterizava ironia e sarcasmo. O Momo brasileiro, adaptado às festas carnavalescas, tem que ser divertido, brincalhão e gostar muito de Carnaval. “Para mim é muito gratificante. Já é o terceiro ano, sempre com muita alegria e muita paz. Espero que o Carnaval seja vivido com amor e felicidade”. Cristiano também foi Momo no Carnaval Antecipado de Santa Cruz Cabrália.

Após a entrega da chave, baianas seguiram para lavagem da calçada da Passarela do Álcool, acompanhadas pela comunidade.

Acompanhe toda a programação diária no Calendário de Eventos do Jornal do Sol On Line.

© 2019 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade