Maioria dos vereadores apoia os candidatos indicados pela prefeita


Foi dada a largada à propaganda eleitoral e às declarações de apoio a candidatos a deputados, senadores, governadores e presidente da República. Em Porto Seguro, pelo menos dez vereadores declararam seu apoio à candidata a deputada estadual Larissa Oliveira (PSD).

O presidente da Câmara, Evaí Fonseca e o líder do governo, Dilmo Santiago encabeçam a fila dos que apoiam Larissa, Ronaldo Carletto (PP) para deputado federal e Rui Costa (PT) para governador. Também declararam apoio à filha do a prefeita os vereadores Aparecido Viana (PSD), Geraldo Couto (PHS), Élio Brasil (PT), Robinson Vinhas (PC do B), Wilson Machado (PSC), Kempes Neville (PPS), Lázaro Lopes (PP) e Abimael Ferraz (PSC).

Larissa, ex-secretária de Assistência Social de Eunápolis, entra na disputa em um momento de insegurança do partido na região. Os pais, o casal Cláudia e Robério Oliveira, prefeitos de Porto Seguro e Eunápolis, permanecem sob investigação, após afastamento pela Operação Fraternos, da Polícia Federal e Ministério Público Federal, que denunciou fraudes em licitações e desvio de cerca de R$ 200 milhões dos cofres públicos. Uma prova de fogo para a família Oliveira na região.

Os vereadores deixam claro que estão buscando aliados que tenham algo a oferecer em troca do apoio, independente da ideologia, passado político ou maneira de lidar com o dinheiro público. O apoio maciço dos edis à filha de Claudia e Robério é justificado como estar seguindo a orientação do grupo político do qual fazem parte. Evaí Fonseca, por exemplo, declarou seu aval a Ronaldo Carletto que, segundo ele, viabilizou obras como poços artesianos em Imbiruçu de Dentro, Vale Verde e Caraíva.

O cargo que divide mais opiniões é o de presidente. O vereador Kempes Neville declarou apoio a Jair Bolsonaro (PSL) e Élio Brasil quer Lula (PT) como presidente, que mesmo preso na PF, está levando o partido a apostar em sua candidatura. Como se vê, incertezas não rondam somente os eleitores.

Alguns vereadores ainda não declararam o candidato à presidência de sua preferência. Como Ronildo Vinhas (PMDB), que está entre os que ainda aguardam as propostas. “Ainda estamos vendo no grupo”, afirma também Geraldo Couto em relação ao cargo de presidente. O cacique Renivaldo Braz (PV) também estava sem candidato. E firmou: “estou muito preocupado com a situação. Eu gostaria que os candidatos tivessem compromisso com o meu município e minha comunidade, de quem sou muito cobrado. Quero candidatos que não colocam o poder acima de tudo. Quem mais sofre são as pessoas carentes, humildes, honestas”, atesta. Para governador, o Cacique declarou seu apoio a Rui Costa.

© 2019 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade