Uni Líderes discute, em Brasília, melhorias para a Costa do Descobrimento

 

O Diretor Presidente da UNI (União de Líderes Empresariais de Porto Seguro), Luigi Rotunno, reuniu-se no dia 15/04/19, em Brasília, com autoridades federais para tratar de assuntos turísticos e ambientais da Costa do Descobrimento. Em uma reunião que durou cerca de duas horas, a UNI apresentou sua estrutura de diretorias e o funcionamento da entidade com os empresários e a sociedade civil organizada, mediante os Cafés da Manhã, Rodadas de Negócios, Mentorias e Fóruns. 

Foram compartilhadas as preocupações do empresariado e de cidadãos engajados com o desenvolvimento da região, diante do cenário desorganizado, com claros sinais de um descontrolado turismo predatório que pode gerar danos irreversíveis à cultura e ao meio ambiente na Costa do Descobrimento, havendo, também, o risco iminente do que é chamado “overturism”. 

Destinos como Trancoso, Caraíva e outros pedem socorro diante do fluxo de turistas que os distritos não têm condições de receber, pois a ausência de infraestrutura nas estradas e até de saneamento básico, impossibilitam esse crescimento. O descontrolado fluxo turístico concentrado em curtos períodos do ano, ocasionando longas baixas temporadas prejudicam o destino como um todo. Um planejamento turístico profissional poderia, certamente, redistribuir esse fluxo de forma mais sustentável para os viajantes que desejam visitar as belezas da Costa do Descobrimento. 

Um assunto importante discutido junto à presidente do IPHAN, Katia Bogéa, foi a proteção do patrimônio histórico material e imaterial. A UNI se colocou à disposição do IPHAN para colaborar nesse desafio e os empresários entendem que esse patrimônio deve ser preservado, sendo ele, a maior riqueza da região. Para o diretor presidente da UNI, “temos uma grande oportunidade de manter a Costa do Descobrimento preservada de especulações imobiliárias predatórias e, esse é um dos principais motivos pelos quais precisamos do IPHAN. O simples fato de não termos prédios altos, nos diferencia da maioria das cidades litorâneas.” Comentou Luigi Rotunno. 

A reunião foi concluída com um convite a todos os participantes, para prestigiarem o Fórum de Turismo da Costa do Descobrimento que está previsto para o dia 25/06/19, em Porto Seguro – Bahia.


Fonte: Ascom Unilíderes - Na foto: Katia Bogéa, presidente do IPHAN; Diego Feijó, coordenador de Promoção e Eventos da Embratur; Luigi Rotunno, diretor presidente da Uni- Líderes Empresariais de Porto Seguro; Nicole Ferreira Facuri, coordenadora geral do Meio Ambiente, Cultura e Economia Criativa - SNII - Ministério do Turismo; Larissa Rodriguez Peixoto, diretora do Departamento de Desenvolvimento Produtivo - SNII - Ministério do Turismo.

 

 

 

 

Ondas Praia Resort e WAM BRASIL: terceira vez na Meia-Maratona do Descobrimento

Uma causa nobre em Porto Seguro, o destino turístico que mais cresce no Brasil. É claro que o Ondas Praia Resort e a WAM BRASIL não ficariam de fora. Pela terceira vez consecutiva, as duas grandes marcas do Turismo de Multipropriedade da América Latina se juntam para promover e patrocinar esse grande evento que já é destaque no cenário brasileiro do atletismo.

O Ondas Praia Resort e a WAM Brasil apoiam causas como essas para incentivar o esporte, a saúde e o bem estar e ainda contribuir para a sustentabilidade econômica do destino em época de média temporada. Participaram do evento mais de 2 mil pessoas, de todas as partes do Brasil.

O diretor-geral de operações da WAM em Porto Seguro, Eric Sussumi foi um desses maratonistas. Com a família e a equipe WAM, Sussumi fez o trajeto e elogiou a organização e a grandeza do evento. “A Meia Maratona já faz parte de Porto Seguro, assim como a WAM e o Ondas Praia Resort. Estamos colaborando, participando, nos engajando em todos os eventos, causas e entidades que são benéficas para Porto Seguro e região e a todos seus moradores e turistas”, afirmou o diretor.

A Meia Maratona, que aconteceu no domingo, 14 de abril, possuiu as modalidades de 21, dez e cinco quilômetros, além de uma caminhada de três quilômetros para esportistas iniciantes. A prova possui chancela da FBA (Federação Baiana de Atletismo) e tem medição oficial de percurso feita pela CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo).


Texto e fotos enviados pela Assessoria de Marketing do Ondas Praia Resort - INFORME

 

Fórum de Mobilidade Urbana reúne 500 pessoas no Centro de Cultura

Fórum de Mobilidade Urbana reúne 500 pessoas no Centro de Cultura

A Mobilidade Urbana em Porto Seguro foi debatida no 1º Fórum da Uni-líderes empresariais no Centro Cultural de Porto Seguro, dia 4 de abril, diante de um público de 500 pessoas, em sua maioria estudantes, empresários de Turismo e representantes da comunidade. Reduzir a velocidade e a quantidade dos veículos, principalmente os pesados, implementar a arborização das vias e praças e pensar na cidade como um bem comum, onde a convivência compartilhada requer regras a ser respeitadas, estes foram alguns dos assuntos abordados no evento. Com uma intensa programação de atividades destinadas ao setor empresarial a UNI-Líderes ocupa cada vez mais espaço no Turismo de Porto Seguro.

O encontro começou com a introdução do diretor-presidente da UNI-Líderes empresariais, Luigi Rotunno que agradeceu o realizador arquiteto e urbanista Edison Antunes. Depois de uma breve explanação sobre os cursos da Faculdade Nossa Senhora de Lourdes e uma troca de experiências entre os profissionais de arquitetura e um grupo de estudantes sobre as características e potencialidades da profissão.

Suavizar o trânsito

A primeira palestra foi sobre Traffic Calming, ou seja tudo que pode ser implementado visando suavizar e adequar o trânsito ao pedestre. Nela, foram citados, entre outros os exemplos de Londres com reduções de velocidade dos veículos de 30 km/h e até 5 km/h próximo às faixas de pedestres, medidas que reduziram drasticamente a quantidade de mortes por atropelamento, como explicou o engenheiro de tráfego José Tadeu Braz. Ele falou ainda de colheita de água e de chuva plantada, para minimizar um pouco as enchentes.

Seguiu um painel moderado pelo diretor-presidente da Uni-Líderes Luigi Rotunno, sobre Arraial d’Ajuda “Carros e Pedestres uma difícil convivência”, com a arquiteta Ana Azambuja, a corretora de imóveis Nilza Cordova e a presidente da Fábrica do Ser Luciene Oliveira, Ong que cuida de pessoas portadoras de deficiência. Todas evidenciaram a necessidade de mobilidade urbana para o desenvolvimento de suas áreas de abrangência. “Um bom planejamento de mobilidade valoriza o setor imobiliário”, destacou Luigi Rotunno. Luciene Oliveira evidenciou a precariedade das calçadas de Porto Seguro que tornam-se obstáculos para os portadores de deficiência, escassez de ônibus com rampa e outras dificuldades enfrentadas apesar das leis de inclusão.

É preciso plantar árvores

Em seguida o professor arquiteto e urbanista Walfredo Antunes Oliveira ilustrou algumas características urbanísticas da cidade de Palmas, a mais nova capital do País, onde colaborou ao seu planejamento “uma cidade feita a partir de nada, onde foi mantida a separação das construções para permitir a ventilação. Falando de Porto Seguro criticou a falta de prioridade do Plano Diretor e lamentou a escassez de árvores, “é espantoso que Porto Seguro não tenha árvores, não adianta esperar que alguém o faça, ocorre orientar e aí que o paisagismo pode orientar”. Sugeriu ainda de estacionar os ônibus de turismo e continuar o trajeto com veículos menores.

O último painel, coordenado por Fábio Grobério, com a participação do comerciante de material de construção Altair Robério, o hoteleiro Wilbert Das e o profissional de Turismo Gabriel Bittencourt tratou de Trancoso e especialmente “O trânsito pode prejudicar Trancoso”. Trancoso que cresceu de 1,67 km² no ano 2000, para 15,25 km² em 2019 com 22000-23000 habitantes. Todos evidenciaram a necessidade de reduzir o trânsito no centro do povoado, “corremos o risco de perder nossa identidade, vivemos do turismo, Trancoso sempre foi vendido como uma vila, sem o ordenamento do trânsito que vila é essa, o tráfego pesado não pode entrar”, ressaltou Gabriel. Precisamos proibir o acesso de caminhões e ônibus enormes, reforçou Altair. Temos que promover o trânsito de pedestres e bicicletas, finalizou Wilbert.


Antonio Alberghini / Mídia Mutá

© 2019 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade