Mapa turístico 2017
Fisio

Projeto preserva tartarugas ameaçadas de extinção

A região litorânea de Santo André, situada na Área de Proteção Ambiental (APA) Santo Antônio, no município de Santa Cruz Cabrália, é um importante berço do nascimento de tartarugas marinhas. Atentos à necessidade de preservar a espécie, a paulistana Mônica Paoletti e o pescador Vevé Freitas, moradora e nativo de Santo André, respectivamente, começaram a desenvolver ações de conscientização na comunidade.

Nasceu, então, o Projeto Maré, de proteção às tartarugas marinhas que desovam e se alimentam na região. A iniciativa se deu em 2010, após o anúncio de uma festa rave, a ser realizada na semana de Réveillon, durante seis noites na praia das Tartarugas. Desde então, na temporada de desova, que vai de outubro a maio de cada ano, (com eclosões se estendendo até julho), o Maré realiza monitoramento diário da restinga e da atividade das tartarugas, com identificação, cercamento e acompanhamento protetivo de ninhos e registro visual do número de nascimento de filhotes.

A equipe, formada por quatro voluntários (Mônica,Vevé, Kinha Freitas e o biólogo Odair Schneider que faz a supervisão técnica), registrou números significativos de desovas, em ninhos distribuídos por de 3 km de praia (do total de 7 km). São frequentes as espécies Cabeçuda, Pente e Verde, todas ameaçadas de extinção. Na temporada 2014/2015, foram registrados 16 ninhos; de 2015/2016, o número aumentou para 29; e a temporada mais recente, registou 24 ninhos. Os voluntários usam recursos próprios ou doações esporádicas para desenvolver as ações.

 

Conscientização

De acordo com a Lei Federal n.º 9605/98, Artigo 29, o comércio, o consumo, o transporte e qualquer obstrução à desova e à livre circulação das tartarugas marinhas são considerados crimes ambientais, passíveis de multa e detenção inafiançável. “Temos observado aumento da compreensão do público em relação aos limites impostos pelas leis ambientais, como: proibição de fogueiras no local, iluminação vazando para a praia, degradação da restinga e outros. Mas é fato que a observância dessas normas ainda exige nosso monitoramento e orientações sistemáticas até que se possa considerar uma real mudança de comportamento”, afirma Mônica.
Segundo a fundadora do projeto, a existência de tartarugas marinhas no local é indicativo de preservação ambiental, mas muitas pessoas não querem seguir restrições impostas pelas normas de proteção. Trânsito de jet-skis e motos na praia, cortes provocados por redes de espera, crescimento do número de casas de veraneio e empreendimentos à beira-mar, ocupando de forma ilegal a faixa litorânea de preamar e suprimindo a restinga, além de aumento da iluminação noturna no local prejudicam a desova, o nascimento, a alimentação e o deslocamento das tartarugas marinhas, já que elas tem rotas definidas para procriação e sobrevivência. Mônica afirma que, desde 2014, especialmente após a Copa do Mundo, quando o distrito recebeu a seleção alemã de futebol, e passou a ter mais exposição na mídia, a situação se tornou mais delicada.

Participação da comunidade

A ação mais recente do projeto Maré foi o início da Capacitação de Jovens de Santo André e região (Cabrália, Santo Antônio e Guaiú) para atuação em Monitoramento das Tartarugas Marinhas e Educação Ambiental. A capacitação foi realizada no Centro de Convivência e Cultura de Santo André e teve a participação da Secretaria de Meio Ambiente e do biólogo Odair Schneider. Foram realizados dois módulos preparatórios para a habilitação dos jovens para preservação das tartarugas marinhas e ecossistema.

 

Eles serão desafiados a desenvolver um pequeno projeto ambiental em sua praia de origem. Ao longo do ano, o Maré também promove e educação ambiental para a turistas, comércio local e setor hoteleiro. O desafio do projeto é conquistar sustentabilidade através de subsídios que garantam a manutenção de uma equipe formada por coordenadora, biólogo, educadora monitores, e os equipamentos necessários para as ações em campo e em educação ambiental. Dentre algumas reivindicações, o projeto pleiteia a criação de políticas públicas para proteção da restinga e das tartarugas marinhas em toda extensão litorânea de Santa Cruz Cabrália.


Fotos do Projeto Maré: Tartarugas rumo ao mar, banner e placas orientando sobre a área de preservação, cercamento de ninhos, tartaruga morta por enforcamento, Mônica e Vevé em ações de educação ambiental com alunos e parceiros do projeto.

Visit the new site http://lbetting.co.uk/ for a ladbrokes review.

Site desenvolvido em Software Livre
Jornal do Sol | Todos os Direitos Reservados