A Cia Burlesca de teatro chega a Porto Seguro e seis cidades do Extremo Sul da Bahia

Com apoio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal pelo Programa Conexão Cultura, o grupo de teatro brasiliense Cia Burlesca percorrerá entre os dias 05 e 16 de fevereiro as cidades de Porto Seguro, o distrito de Caraíva, Prado, Mucuri, Teixeira de Freiras, Itamaraju, Itabela e para apresentar o espetáculo Bendita Dica, gratuitamente, em áreas da reforma agrária no projeto chamado Caravana Burlesca.

Esta é a terceira edição do projeto Caravana Burlesca. Em 2016, o grupo realizou a primeira Caravana Burlesca com o objetivo de levar o espetáculo Bendita Dica à cidade de origem de sua história: Lagolândia/GO, passando pelas cidades de Cocalzinho, Corumbá e Pirenópolis. Em 2018, realizou-se a segunda edição da Caravana Burlesca, dessa vez para levando o espetáculo Bendita Dica e oficinas de teatro político para assentamentos, acampamentos, escolas rurais e comunidades quilombolas das cidades de Planaltina/DF, Cavalcante/GO, Teresina de Goiás/GO e Formosa/GO.

Santa Dica é o mote do espetáculo voltado para todos os públicos. Atores, músicos e bonecos estão em cena para contar a história de Benedita Cipriano Gomes, a Santa Dica, poderosa líder comunitária que criou em Lagolândia, na região de Pirenópolis-GO, entre os anos 20 e 30, uma grande comunidade que dividia a terra por igual e construiu um cotidiano baseado nos princípios de igualdade, solidariedade e produção coletiva.

O espetáculo estreou em Brasília no mês de março de 2016 e desde sua criação já realizou quase 120 apresentações, ficou em temporada na Sala Conchita de Moraes do Teatro Dulcina, circulou por dezenas de escolas públicas do DF, e também participou de diversos eventos e festivais no DF, GO, SP, RS, PB e MA, dentre eles o Prêmio Sesc de Teatro Candango 2018, no qual ganhou na categoria de Melhor Espetáculo Infantil.

Bendita Dica valoriza e mantém tradições da cultura popular brasileira, uma vez que o utiliza em sua encenação a manipulação de mamulengos, forma popular e tradicional do teatro de bonecos no Brasil. Nasceu nos interiores do Nordeste e, de lá, migrou para grandes centros e outras regiões. Além da cultura mamulenga o espetáculo apresenta outros importantes elementos da cultura popular brasileira como a Festa do Divino, uma manifestação muito difundida e praticada em diversas regiões do país. Os bordados, fuxicos, colcha de retalhos presentes no cenário nos conectam com ofícios muito presentes no interior do Brasil que são carregados de saberes e tradições fundamentais para a cultura brasileira.

Além do espetáculo, a Cia Burlesca oferecerá oficina de teatro político nas áreas em que passar. A proposta além de proporcionar troca de experiências e instrumentalização de pessoas que moram em áreas carentes de atividades formativas, permitem ao grupo socializar suas técnicas de trabalho. Esses momentos representam um importante instrumento de divulgação da Companhia do DF em outro estado a partir não só do espetáculo, mas também de processos pedagógicos revelando o potente cenário da capital do país na arte e na arte-educação.

Programação

05/02 - Biblioteca Municipal de Caraíva (Caraíva)

09/02 - Assentamento Rosa do Prado (Prado)

10/02 - Escola do Campo Paulo Freire (Mucuri)

11/02 - Assentamento Bela Manhã (Teixeira de Freitas)

12/02 - Escola Popular de Agroecologia Edígio Brunetto (Prado)

13/02 - Escola Bela Vista (Itamaraju)

14/02 - Acampamento União (Itabela)

15/02 - Acampamento Margarida Alves (Itabela)

16/02 - Assentamento Lulão (Porto Seguro)

Ficha técnica

Direção e Músicas : Mafá Nogueira

Elenco: Julie Wetzel, Lyvian Sena e Pedro Caroca

Assistente de Produção e Operador de som: Pedro Henrick

Iluminação: Jullya Graciela

Registro audiovisual: Janelson Ferreira

Dramaturgia, Cenário e Figurino: Cia Burlesca

Preparação de manipulação de Bunrako: Lillian Marchetti

Confecção de mamulengos: Airton Masciano

Confecção de Bunrako: Mafá Nogueira

Designer gráfico: Nara Oliveira


Fonte: Ascom Cia Burlesca de Teatro - Foto: Yuri Barbosa

© 2020 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade