Editorial edição 422

Publicado na edição 422 do Jornal do Sol 

Nesta edição, o Jornal do Sol traz uma matéria sobre o aumento do número de moradores de rua, que triplicou em função do novo coronavírus. Mais uma dos efeitos amargos da pandemia, que fragiliza os despossuídos e incomoda muitos abastados. Durante o dia eles estão por todos os cantos, nas portas dos bancos, farmácias, mercados, padarias, pedindo dinheiro, um quilo de alimento, comida, enfim buscando satisfazer suas necessidades e seus vícios, de todas as maneiras possíveis. À noite, dormem sozinhos ou em bandos pelas marquises da cidade.

A Secretaria de Assistência Social contou mais de 500 desses anônimos, fora aqueles que estão além dessa conta. Juntou-se aos desgarrados - que já não era afeitos ao trabalho ou não conseguiam uma colocação, pelos mais diversos motivos - mais uma horda de retirantes que vieram para o Carnaval, foram flagrados pela pandemia e não quiseram ou não puderam voltar para casa. Outros perderam suas fontes de renda e passaram a dilatar as estatísticas dos habitantes das ruas.

Em tempos de pandemia diversas iniciativas de cidadãos e entidades estão fazendo a diferença na vida dessas e de outras pessoas. Como o projeto Mãos Solidárias, que fornece almoço, jantar e higiene pessoal para quem precisa; a campanha Árvore do Bem, que arrecadou recursos junto à classe empresarial para investir em medicamentos e ajudar na implantação de leitos de UTI e as campanhas do Rotary Club, buscando conseguir cestas básicas e agasalhos para distribuir entre as famílias carentes.

Com tantos estragos na economia e na saúde mental das pessoas, se tem algo louvável em todo esse pandemônio causado pelo coronavírus é o fortalecimento do espírito de solidariedade, que bem poderia sobreviver na pós-pandemia. E não são poucas as posturas, hábitos e experiências, que tendem a perdurar. Uma delas é utilização de inúmeros recursos digitais proporcionados pela era da internet.

Até mesmo os idosos e avessos à tecnologia foram obrigados a utilizar e acabaram tomando gosto pelas facilidades e comodidades do mundo digital. Serviços de delivery, compras online, reuniões e ensino à distância, lives e home office são algumas das práticas que ganharam corpo e tendem a se fortalecer ainda mais. Quem sabe aproximando as pessoas e proporcionando a economia de tempo necessário para que elas possam se dedicar ao que realmente mais faz sentido nessa vida.

© 2021 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade