Encantado no Reino das Fantasias levou a criançada para a magia das estórias infantis

As princesas e os príncipes marcaram um encontro com a Liga da Justiça e todos os super-heróis, além de diversos personagens das estórias em quadrinhos, da tv e dos filmes infantis. A curtição do Carnaval foi no dia 03/03/19 com muito amor, paz, emoção, diversão, magia, musical e muitas surpresas e uma delas foi a presença da cantora mirim Viena Orge. Esta foi a pedida do Bloco Encantado no Reino das Fantasias.

Desfilando pelo quarto ano, o bloco partiu da Praça do Relógio, onde brincou de jacaré pula-pula, casinha de bolas e outras brincadeiras, além de provar um delicioso com pipoca, água, refrigerante, algodão doce, picolé, salgados, e sacola de guloseimas. A produção é de Sheila Araújo.

Conheça mais dos pequeninos

As Encantadas se transformaram em Bloco Encantado no Reino das Fantasias, um bloco infanto-juvenil. De acordo com Sheila Araújo, fundadora, o objetivo é oferecer diversão e conforto às crianças, promovendo espaço também para os adultos. A farra sempre confere muita magia para pais e filhos.


Fotos: Baú do Xará

Guias e monitores atenderam mais de 126 mil turistas no Carnaval baiano

 


Implantado em 2008 pela Secretaria do Turismo da Bahia (Setur) para atender com qualidade os turistas que visitam a Bahia no período do Carnaval, o projeto Guias e Monitores, mais uma vez, obteve ampla aprovação por parte dos turistas. É o que revelam os números divulgados nesta sexta-feira (16). Os atendimentos, neste ano, chegaram a 126,24 mil (10.640 a mais que em 2017), envolvendo 225 profissionais que trabalharam principalmente em Salvador, e também nas cidades de Porto Seguro, Ilhéus e Mata de São João (Praia do Forte).
Turistas elogiaram a qualidade do serviço, segundo supervisores dos guias e monitores que se reuniram nesta sexta, na sede da Setur, para avaliar a atuação em 2018. A satisfação se reflete nas sugestões para que a ação seja ampliada para todo o período de alta estação, em pontos como Barra e Praça Municipal, e chegue a locais fora do circuito carnavalesco tradicional, como o Rio Vermelho.
Outra sugestão dos turistas é para ampliação do serviço, a fim de abranger cidades do interior, além das três já contempladas. Já outros aspectos do projeto serão reavaliados para maior aperfeiçoamento. “Vamos iniciar o planejamento para o Carnaval de 2019 para que o receptivo se torne ainda melhor e atenda o turista com o máximo de eficiência”, afirmou o subsecretário do Turismo, Benedito Braga. Algumas ações e parcerias estão sendo estudadas neste sentido.
Os Guias e Monitores atuaram nos principais portais de acesso da cidade, como Aeroporto, Rodoviária e Porto, e nos circuitos da folia. Nos lounges instalados na Barra e na Praça Municipal a demanda por informações atingiu grande pico. Também foi avaliada como positiva a disponibilização de carregadores de celular nesses locais, proporcionando uma circulação extra de pessoas em busca do serviço.

Ranking

No cômputo geral dos atendimentos dos Guias e Monitores no Carnaval 2018 os baianos vindos de Feira de Santana, Ilhéus e Juazeiro, dentre outros municípios, foram os que mais solicitaram informações (49%). Entre os visitantes de outros estados, os paulistas lideraram (28%), seguidos pelos cariocas (15%) e mineiros (13%).
Os argentinos foram os estrangeiros mais atendidos (26%), à frente dos franceses (13%), chilenos (12%), espanhóis (9%) e italianos (7%). A maior parte dos atendimentos foi em língua portuguesa (mais de 80%), seguida do espanhol (9%) e do inglês (5%). As principais informações foram relativas a programação (40%), localização (21%), serviços turísticos (14%) e transportes (6%).


Fonte: Ascom/Setur-BA - Foto: Tatiana Azeviche

Prefeitura apresenta balanço do Carnaval 2018

 

A prefeitura de Porto Seguro realizou coletiva de imprensa para apresentar um balanço das ações realizadas no Carnaval 2018. Da  reunião participaram também as secretarias municipais de Turismo, Saúde, Comunicação, Transportes e Serviços Públicos e as Polícias Civil e Militar. A coletiva foi realizada no Porto Seguro Eco Bahia Hotel.

O gerente geral do Porto Seguro Eco Bahia, Hélio de Paula, falou do privilégio de ser o hotel oficial das bandas e artistas que se apresentam no Carnaval da Passarela e também no Carnaporto. “Vamos completar cinco anos hospedando as bandas do Carnaval e dando o nosso apoio para o crescimento do turismo. E isso é um grande orgulho para o nosso grupo, que sempre trabalha pelo desenvolvimento da cidade”.

Na coletiva, o prefeito em exercício Beto Nascimento falou da relevância do Carnaval na economia do município e do planejamento que envolveu todas as ações do Projeto Verão, iniciadas em setembro de 2017. Beto enfatizou que o número de turistas têm aumentado em torno de 10% a cada ano e afirmou que é possível que Porto Seguro receba, em 2019, um número aproximado 1 milhão e setecentos mil visitantes. O prefeito em exercício reconheceu a necessidade de melhorias em questões que envolvem a estrutura da cidade e justificou a contratação de bandas em datas muito próximas aos eventos festivos como o Carnaval, dizendo que, desta forma, há uma possibilidade maior em negociar valores e contratar artistas que estejam em evidência no momento.

 

O Secretario Richard Alves citou a estruturação do Carnaval e as opções de diversão para os foliões, a exemplo das atrações nos trios e o Carnaval Cultural. Richard afirmou que uma mudança de rota auxiliou o trânsito na Passarela do Álcool, bem como a concentração dos blocos em locais estratégicos, como a rua 15 de Novembro, a praça da Casa da Lenha, o Trevo do Cabral e a praça do Relógio, para não atrapalhar o fluxo de pessoas pelas ruas do Centro da cidade. Richard também falou da campanha de enfrentamento à violência infantil com as ações do bloco Disque 100, da secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social. E informou que a ocupação hoteleira (que tem cerca de 45 mil leitos) ficou entre 90% e 100%, e que os turistas estão gastando 12% a mais no Carnaval.

Saúde

Sobre a saúde, de acordo com a secretária Edna Alves, 92 servidores da pasta foram disponibilizados para trabalhar nas ações da rede de urgência e emergência e vigilância em saúde. Foram realizados 125 atendimentos, uma redução de 15% em relação a 2017, conforme registrado. A maioria dos casos foi de alcoolemia. Sobre as ações de prevenção às DST, houve detecção de cinco resultados positivos de HIV e outros de hepatite, apontados por testes rápidos realizados em atendimentos durante as festas. Os pacientes foram encaminhados para tratamento.

Trânsito

Em relação ao trânsito, o secretário Eriosvaldo Renovato destacou o grande número de veículos que circulam durante o Carnaval como um problema. Mas considerou que em relação a 2017 o trânsito fluiu melhor.

Segurança

Na segurança, segundo informaram as polícias Civil e Militar, houve redução de infrações, no geral. O coordenador regional de Polícia Civil, delegado Moisés Damasceno polícia civil, os furtos caíram 24% em relação a 2017 (de 78 para 59 ocorrências). Ele citou importantes prisões, como a de Laís de Oliveira Magalhães, 22 anos, acusada de manter um depósito de drogas em casa, no bairro Baianão; e a de sete turistas de Brasília, também acusados de tráfico de drogas, dentre eles, um sargento do exército. Durante o Carnaval foram registrados três roubos, um a mais do que no ano passado. O número de policiais aumentou de 48 para 60.

Já o Major Anacleto França, da Polícia Militar, enfatizou o apoio recebido da Cippa e da Caema, no patrulhamento das áreas mais distantes do Centro. Ao todo, 120 policiais atuaram no período. “Tudo passou por planejamento das polícias: roteiros, bloqueios, emprego de policiais.  etc. Bairros periféricos tiveram aumento de policiamento com radio-patrulhamento. Houve uma redução de 78% de conduções à delegacia. E no domingo, 11/02/18, houve mais de 80 infrações de trânsito. As críticas são importantes para repaginar o que pode ser melhorado.”

Fluxo de turistas

No final da reunião, ao responder as perguntas sobre o Carnaval, o prefeito informou que o aeroporto registrou 105 pousos no período, 8% a mais do que no ano passado. Mas que não há registros da quantidade de pessoas que chegaram por terra, em carros particulares e ônibus de turismo ou mesmo comerciais.

Questionado pelo Jornal do Sol sobre a necessidade de melhorar a fluidez no trânsito na av. Beira-Mar, que é uma BR (BR 367), Beto citou a construção do semi-anel viário como uma alternativa, e informou que há uma obra em andamento na rua do Telégrafo, mas que está suspensa devido à descoberta de um sítio arqueológico indígena no local. Segundo ele, o objetivo é interligar a entrada da cidade, orla, Upa e rua do Telégrafo, mas as obras serão de longo prazo.

Suvaco do Cabral desfila com maestria e agita avenidas no pós-Carnaval

 

Quem achou que o fôlego dos foliões de Porto Seguro acabou com a quarta-feira de cinzas, se enganou. Até 04/03 tem bloco se apresentando nos bairros. No dia 17/02/18 foi a vez do tão esperado bloco Suvaco do Cabral. Ele encerrou os desfiles no Centro partindo do Trevo do Cabral, às 16h00, com a lavagem marcada pela participação das baianas e suas jarras de água de cheiro. Aos três anos de formado, o bloco tem um incrível carisma e vem aumentando a participação de pessoas anualmente na semana posterior ao Carnaval Oficial.

Com muita gente animada e bonita, o Suvaco do Cabral passou pela avenida 22 de Abril, pça do Relógio, Passarela do Álcool, pça da Bandeira, rua São Pedro, Getúlio Vargas, Dois de Julho, encerrando no Gallo.

 

Com o tema: “O Suvaco do Cabral celebra o Carnaval Cultural”, o bloco homenageou este ano personagens que fizeram a história do Carnaval Cultural da Terra Mater. O samba-enredo, elaborado pelos compositores Sérgio Fab, Robinho, Felipe Limão, Reis e Walter, reverenciou blocos e cordões, contando como era a folia porto-segurense desde a década de 60. Pela letra, desfilaram os cordões que existiam na época, o nome das pessoas que iniciaram o Carnaval, as charangas e os blocos que estão na ativa até hoje.

Para treinar o pessoal, o Suvaco disponibilizou no Facebook um videokê e desafiou os integrantes a gravar um trecho da música e publicar, como forma de atrair participações. “A alusão ao Carnaval Cultural é uma maneira de mostrar essa riqueza não só às pessoas que moram na cidade, mas também aos turistas e ao poder público, para que ele tenha um olhar mais generoso com os blocos, que são quem realmente faz o Carnaval, e movimenta Porto Seguro, Trancoso, Arraial, Caraíva e Vale Verde. Já há alguns anos essa é a tendência pelo Brasil afora”, afirmou Renata Tardin, fundadora do bloco.

Esquentando as baterias

O esquenta do Suvaco do Cabral aconteceu com rodas samba desde o início de dezembro, todas as tardes de domingo, com concentrações no Restaurante Recanto do Gallo, na Tarifa, com a participação das baterias no ensaio aberto. O bloco costuma ser convidado para se apresentar em outras oportunidades, como no Carnaval Indoor do La Torre, no Club Med Trancoso, Ilha dos Aquários, além de convenções, no Réveillon de Santo André, no aniversário do Gallo e no TerraVista.

Segundo Renata, o Suvaco, como é carinhosamente chamado, atua o ano inteiro. “A gente trabalha também o social. Temos uma oficina ritmista, onde qualquer pessoa que quiser aprender a tocar um instrumento pode chegar. Os ensaios são abertos, no Centro de Cultura, todas as terças-feiras. Este ano o bloco sai com quatro menores acompanhados dos pais, tocando na bateria, além de uma passista”.

Ela ressalta ainda, as ações de sustentabilidade. Nos eventos que o Suvaco faz, como o desfile de Carnaval e Festival do Chopp, em agosto, no aniversário do bloco, tudo o que é produzido de latinha é recolhido pelos catadores nomeados pelo bloco de “cabralatas” e doado à Ong Voz dos Bichos. “Temos também a promoção à acessibilidade. Desde o ano passado, criamos uma plataforma para cadeirantes, que permite que eles sigam com os outros foliões em todo o percurso.”

Como surgiu o Suvaco

Renata Tardin é carioca e na adolescência teve um bloco de samba na Região dos Lagos (RJ). “Aqui eu sempre saia tocando tamborim nas charangas, mas não é o mesmo ritmo. Então tive a ideia e a gente chamou de Suvaco do Cabral, alusivo ao Suvaco do Cristo, que existe há 32 anos no Rio de Janeiro. O Suvaco do Cabral é uma brincadeira com um personagem da história do Brasil. E você ajuda também a fazer o resgate da história, misturando com a cultura e levando para o samba”.

O bloco se formou em Porto Seguro em 2015 com a ideia de resgatar a cultura do samba na Bahia. Começando com 350 foliões, atualmente tem 500 participantes, que se dividem entre componentes da bateria, da harmonia (com violão, cavaquinho, banjo e vozes), ala das passistas e ala das baianas, em parceria com o pessoal da terceira idade, do Clube da Amizade.
Segundo Renata, muita gente questionava o dia de desfile do bloco (todo sábado depois do Carnaval oficial), achando que a participação seria pequena porque todos estariam cansados de pular durante os dias normais de festa. Mas, a ideia era fazer uma festa para que todos, inclusive moradores que passaram o Carnaval trabalhando, pudessem participar. As participações só aumentam a cada ano.

Carnaporto na sexta é com Eva, Harmonia e Tomate


Em seus 21 anos, o Carnaporto, em plena forma física, comemora seu sucesso com a galera bonita no Arena Axé Moi. Na quarta-feira de cinzas, 14/02/18, foi a vez do chão tremer com Léo Santana, Saulo e Wesley Safadão.
Na quinta, 15/02 Bell Marques, Cláudia Leitte, Dennis DJ e Alok, misturaram os ritmos e esquentaram ainda mais o caldeirão da folia.
Na sexta-feira, 16/02, a partir das 22h00, Eva, Harmonia e Tomate tomam conta do espaço e despedem o Carnaval da galera.

© 2020 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade