Negros e pardos cresceram entre a parcela 1% mais rica da população

A população que se identifica como preta ou parda cresceu entre a parcela 1% mais rica da população brasileira, segundo dados divulgados, no dia 04/12/15, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o indicador, eles representam 17,4% do total desse grupo, que é formado por pessoas que moram em domicílios cuja renda média é de R$ 11,6 mil por habitante.

Mesmo com o crescimento da proporção de pretos ou pardos no topo da distribuição (eram 12,5% em 2004), persiste uma grande diferença em relação àqueles que se declaram brancos, que eram quase 80% no 1% mais rico da distribuição em 2014. 

Segundo o IBGE, os negros (pretos e pardos) eram a maioria da população brasileira em 2014, representando 53,6% da população, enquanto as que se declaravam brancas eram 45,5%. Em 2004, o cenário era diferente, pouco mais da metade se declarava branca (51,2%), enquanto a proporção de pretos ou pardos era 48,2%.

A avaliação da distribuição das pessoas por décimos de rendimento mostra que há maior representação de brancos nos décimos mais altos ao longo dos 10 anos avaliados. Do total de brancos, 41,8% estavam nos três décimos superiores em 2014, ao passo que 20,0% dos pretos ou pardos se encontravam nesses estratos. Em 2004, tais proporções eram, respectivamente, 41,9% e 17,2%, o que mostra um ligeiro crescimento destes últimos no período, sem alterar substancialmente a estrutura de distribuição de rendimentos sob a ótica da cor ou raça da população.

Do total de pretos ou pardos, 38,5% estavam nos três décimos inferiores em 2014, contra 41,7% em 2004. Já 19,8% dos brancos estavam nos três décimos inferiores em 2014, contra 19,1% em 2004, praticamente sem modificação em 10 anos.


Fonte: Portal Brasil

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2018 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade