MPF denuncia responsável por executar liderança Tupinambá em Ilhéus

 

Segundo as investigações, o assassinato do indígena Adenilson Pinduca, em maio de 2015, foi retaliação por suas atividades como liderança indígena e por disputas por terras

 

O Ministério Público Federal (MPF) ofereceu, no dia 12/04/18, denúncia contra Edivan Moreira da Silva, conhecido como “Van de Moreira”, por homicídio consumado e homicídio tentado, ambos qualificados pela emboscada, o que dificulta ou impossibilita a defesa da vítima. Segundo a denúncia, Edivan Moreira foi o principal responsável por executar com 13 tiros o indígena Adenilson Silva Nascimento, conhecido como Pinduca, e ferir com dois tiros sua esposa, Zenaildes Menezes Ferreira, em 1º de maio de 2015, em Ilhéus/BA, na zona rural limítrofe com Buerarema – município a 462km de Salvador. Além dele, participaram do crime duas outras pessoas que não foram identificadas.

As investigações apontaram que o crime foi motivado por desavenças do denunciado contra indígenas, em razão de disputas por terras.

Emboscada

Conforme o inquérito policial nº 0115/2015, no dia do crime, Adenilson Pinduca e Zenaildes Ferreira, por volta de 17h, voltavam para sua residência na zona rural da Serra das Trempes I, acompanhados de três filhos do casal, a mais nova de 1 ano de idade, levada no colo pela mãe. Após cerca de 20 minutos de caminhada, Pinduca foi atingindo por um disparo de arma de fogo, caindo de joelhos. Imediatamente, os dois filhos mais velhos do casal fugiram correndo e Zenaildes retornou para tentar levantar o marido, sem sucesso. Ao se virar para tentar fugir, com sua filha no colo, Zenaildes foi atingida por um tiro na perna direita, o que a fez cair por cima da criança.

No chão, ela ainda foi atingida por outro tiro nas costas, tendo o projétil atravessado seu tórax e se alojado no braço. Zenaildes, então, permaneceu no chão, fingindo-se de morta, e viu o marido se levantar e caminhar em sua direção, lentamente, enquanto outros tiros eram desferidos contra ele, até que caísse próximo a ela. Nesse momento, Edivan Moreira se aproximou e voltou a disparar quatro ou cinco vezes contra Pinduca à queima-roupa. Durante o crime, Zenaildes observou que três pessoas encapuzadas participavam da emboscada, tendo reconhecido Edivan Moreira como um deles, em razão de seu porte físico.

Ameaças

Em manifestações populares contra os indígenas da etnia Tupinambá de Olivença, realizadas em Buerarema em 2013, o denunciado – residente na cidade – teria ameaçado Pinduca, mandando lhe dizerem que, caso ele fosse a Buerarema, iria apanhar. A inimizade aumentou após o indígena ter sido responsável pela retomada da Fazenda Boa Esperança, causando a expulsão do antigo meeiro, amigo de Moreira e sogro de seu irmão. A partir daí, conforme testemunhas ouvidas, as ameaças passaram a ser de morte.

Localização por dados telefônicos

Durante as investigações, a Justiça Federal autorizou a quebra do sigilo de dados telefônicos de Edivan Moreira, para identificar, a partir dos sinais do aparelho de celular do denunciado captados pelas estações rádio base (antenas que fazem a conexão entre os telefones celulares e a companhia telefônica), sua localização aproximada no momento do crime. Essa diligência permitiu confirmar que Edivan Moreira se deslocou para zona rural próxima ao crime na noite de 26 de abril de 2015, só tendo retornado para a zona urbana 3 horas após o assassinato. Segundo os dados obtidos com essa diligência, a partir da noite de 29 de abril, o aparelho celular do denunciado não efetuou ou recebeu ligações, apesar de ter ficado ligado e recebido dezenas de mensagens de texto. O MPF concluiu que, nesse período, o denunciado Edivan Moreira ficou sem o aparelho de celular, entocaiado na mata, para fazer a emboscada e praticar o assassinato.

Após o crime, a primeira ligação realizada pelo denunciado Edivan Moreira foi às 20h12 do dia 1º de maio de 2015, já na zona urbana de Buerarema, 3 horas da prática do assassinato, tempo suficiente para ele se evadir do local do crime, através da mata, recolher seus objetos pessoais, se desfazer dos instrumentos e provas do crime e retornar para área urbana.

O MPF aguarda a análise da denúncia pela Justiça Federal. Caso a Justiça receba a denúncia, será instaurada ação penal e serão realizados os demais atos do processo – defesa do denunciado, oitiva da vítima e das testemunhas - até a submissão do caso ao Tribunal do Júri. As denúncias contra os outros dois envolvidos depende de sua identificação.


Fonte: Ascom MPF-BA

Polícia identifica adolescente que criou perfil falso e planejava ataque a escolas

No dia 04/04/19, a Polícia Civil de Eunápolis identificou uma adolescente de 15 anos de idade, acusada de criar um perfil falso no Facebook. De acordo com a polícia, o objetivo da garota era reunir pessoas para um possível ataque a duas escolas públicas da cidade.

O perfil falso criado no dia 20/03 pela adolescente recebeu o nome de Guilherme Monteiro, fazendo referência a um dos autores do massacre em Suzano/SP, no dia 13/03. Ela faz parte do da relação de alunos de uma das escolas.

As investigações chegaram ao falso perfil e às mensagens emitidas pela menina após afastamento do sigilo de dados eletrônicos, autorizado pelo Juiz de Direito, Dr. Otaviano Andrade de Souza Sobrinho, da Vara Crime de Eunápolis.

Segundo as investigações, a adolescente teria sugerido, uma ação “grandiosa” e se colocou à disposição para ajudar no que fosse preciso, inclusive com bombas caseiras. Também afirmou que fazia parte de um grupo e que tinha tudo planejado. A menina teria ainda solicitado a planta de uma das escolas a outro adolescente. E também sugeriu formas de distrair a atenção dos seguranças das escolas, com simulação de uma briga.

A polícia colheu o depoimento da adolescente na presença da mãe e de testemunhas, mas a menina disse que as ações eram uma “brincadeira” com objetivo de assustar as pessoas. A polícia apreendeu o aparelho celular da garota para dar continuidade às investigações, que ocorrem desde o final de março, e rastrear possíveis parceiros. Um robô, construído por técnicos de TI do IFBA ajudaram na análise do material colhido.

A Polícia Civil está alertando a população sobre a divulgação de áudios com ameaças de ataques a escolas. Este ato segundo polícia, pode configurar atentado contra a segurança ou o funcionamento de serviço de água, luz, força ou calor, ou qualquer outro de utilidade pública, sendo crime previsto no Art. 265 do Código Penal Brasileiro, com multa e com pena de até cinco anos de reclusão.

Acidente com moto na Orla Norte causa morte de funcionário público

Um grave acidente no dia 25/02/19 causou a morte do funcionário público Hugo Santana Souza, de 32 anos. Ele era motorista da secretaria de Saúde de Porto Seguro. O acidente aconteceu à noite na BR 367, Orla Norte de Porto Seguro, na avenida Beira-Mar e envolveu a moto em que ele estava e um carro.

Segundo testemunhas, a moto e um Fox preto com placa de Porto Seguro colidiram frontalmente. Hugo morreu no local. O funeral e enterro foram realizados em Guaratinga.

Pelas redes sociais, parentes, amigos e colegas de trabalho de Hugo se expressaram com pesar e deixaram mensagens de conforto e carinho para a família do funcionário público.

 

Polícia apreende armas com adolescente que ameaçou fazer massacre em Eunápolis

Na manhã de hoje, 22/03, equipes da Polícia Civil de Eunápolis e Santa Cruz Cabrália apreenderam um revólver calibre 38 na casa de uma adolescente de 17 anos, aluno do primeiro semestre de uma Faculdade de Direito de Eunápolis em face de postagens em redes sociais em tom ameaçador a colegas.

Em uma das postagens, o adolescente chegou a dizer: “Quem mata é Deus, eu só atiro”. Em outro momento, declara: “Já falei, só não ficar perto de quem vai ser alvejado kkkk”. Em sua página do Facebook observam-se pouquíssimas postagens, com destaque para seu perfil com a Bandeira do Brasil tremulada ao fundo e a mensagem “Os fins justificam os meios”, inscrita logo abaixo de seu nome. Já em seu story de ontem, sobre um fundo com peças de roupas escuras e uma luneta, o adolescente postou: “Preparatório para”.  “Amanhã será um grande dia”.

A busca foi autorizada judicialmente ontem à noite pela Juíza de Direito, Drª Michelle Menezes Quadros Patricio, Titular da 2ª Vara Crime da Comarca de Porto Seguro, responsável pelo Plantão Judiciário do dia.

O adolescente reside em Santa Cruz Cabrália em uma casa de alto padrão; toma remédio controlado para depressão e é filho de uma professora e de um delegado de polícia aposentado do Amazonas (falecido). Ele alega que tudo não se passava de uma brincadeira. Computadores e celulares de uso do adolescente passarão por análise e perícia técnica. As investigações ficarão a cargo da Delegacia Territorial de Santa Cruz Cabrália.

A Polícia Civil alerta que já estão circulando na cidade e região vários tipos de ameaças semelhantes e orienta que evitem “brincadeiras” da espécie, pois ações policiais serão adotadas em face daqueles que assim procederem.


Fonte: 23ª COORPIN/Eunápolis

Coreógrafo é encontrado morto em estrada de Vera Cruz

 

O coreógrafo Anselmo de Castro Costa, de 33 anos, foi encontrado morto numa estrada de terra em Vera Cruz, distrito de Porto Seguro, no dia 10/02/19. Teozinho Coreógrafo, como era conhecido, morava no bairro Frei Calixto. Ele foi assassinado com vários tiros pelo corpo, tendo sido atingido na cabeça, nas costas e nas mãos.

A vítima era natural de Santa Luzia, Sul da Bahia, era casado e deixou uma filha. A polícia investiga a possível motivação do crime mas ainda não tem suspeitos.

© 2019 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade