Reeducação alimentar

Atualmente, o termo reeducação alimentar é muito comentado. Tem-se como se fosse o grande “segredo” para se obter redução de peso e uma vida mais saudável. Mas vamos entender o que é isso?

Quando nascemos e durante toda a nossa vida, seguimos hábitos alimentares que fazem parte da nossa cultura, tanto do que comem nossos avôs e pais, como das tradições da região onde vivemos. Mas diariamente a mídia, médicos e demais profissionais da saúde fazem alerta a respeito de alimentos que devem compor os nossos hábitos alimentares. São dicas de alimentação que evitam o sobrepeso, a hipertensão, o aumento do açúcar no sangue, do colesterol etc. E aí nós perguntamos, será que minha alimentação é balanceada?

Neste momento é que entra a reeducação alimentar, que consiste num processo de aprendizagem e de mudança comportamental, mas sem deixar de fora o que faz parte da cultura de cada pessoa. Neste processo, é importante entender que alimentos saudáveis não são apenas frutas, legumes e produtos light. Todos os alimentos são permitidos deste que consumidos em pequenas quantidades e com moderação.

Agora, como saber o que é considerado pequenas quantidades e o que é moderação? Aí entra o acompanhamento com o profissional de nutrição que vai avaliar o que é necessário para cada pessoa, individualmente; principalmente levando em consideração as atividades que cada um desenvolve, a idade do indivíduo e se existe alguma doença pré-existente.  

Entretanto, e de maneira geral, existem algumas atitudes que qualquer pessoa pode adotar para "reeducar" a sua alimentação:

- Beba de seis a oito copos de água por dia;

- Abuse de frutas, saladas e legumes;

- Evite o consumo de alimentos industrializados e fast-food;

- Substitua refrigerantes por sucos de frutas naturais;

- Inclua alimentos integrais no seu cardápio;

- Evite o consumo de alimentos ricos em gordura como: frituras, carnes gordas, queijos amarelos, manteiga;

- Doces são permitidos, mas esporadicamente e em pequena quantidade; prefira doces caseiros e chocolate meio amargo;

- Pratique atividade física pelo menos três vezes por semana.

Se você deseja realmente melhorar sua saúde através de uma boa alimentação, inicie incluindo essas dicas no seu cotidiano, e procure um profissional de nutrição para aprofundar o seu novo projeto de vida saudável.

Saúde a todos!


Maria Luiza dos S. Cardoso é nutricionista especialista em obesidade e emagrecimento


Publicado na edição 429 do Jornal do Sol


MATÉRIAS RELACIONADAS

Atividade física, boa alimentação e emagrecimento

Alimentação e pandemia

Metas para um novo ano

Alimentos para elevar a autoestima

Alergias e intolerâncias alimentares (glúten)

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar