Ubaldino Júnior entra no páreo pela prefeitura de Porto Seguro

Após mais de uma década afastado oficialmente das disputas políticas em Porto Seguro, dia 23/09/19, em seu Programa Livre, transmitido às segundas-feiras pela rádio 88 FM, o ex-prefeito Ubaldino Júnior anunciou sua pretensão de voltar ao páreo na disputa pela prefeitura municipal. Durante cerca de uma hora e meia, ele falou de sua trajetória política, dos primórdios do bairro Baianão, junto com o pai, Ubaldino Pinto, o Baiano, e fazendo uma avaliação   positiva da sua gestão à frente do Executivo Municipal.

Ele usou os microfones da rádio para elogiar e agradecer o irmão Lúcio Pinto pela atuação nas duas últimas campanhas eleitorais, quando ficou com o segundo lugar contra a atual prefeita, Cláudia Oliveira. Nos últimos 16 anos, apesar de não ocupar oficialmente nenhum cargo político, Ubaldino tem sido uma das principais vozes da oposição contra os três prefeitos que o sucederam.

Ubaldino Pinto Júnior foi deputado estadual, deputado federal e duas vezes prefeito de Porto Seguro, exercendo o cargo de 1997 ao ano 2000, e de 2001 a 2003, quando foi afastado do cargo, antes de concluir o mandato. A decisão inédita ocorreu após um trabalho de investigação da CGU (Controladoria Geral da União), que apontou atos de corrupção e desvio de dinheiro público Federal por parte do gestor.

Ubaldino afirmou que poderia ter voltado ao páreo antes. “A vontade de ser candidato eu sempre tive. Foi muito traumático pra mim em 2008, quando achei que seria possível e na última semana fui retirado do páreo - uma eleição ganha”, disse ao Jornal do Sol. Sobre eventuais entraves jurídicos para levar a candidatura até o final, ele diz que “agora é diferente, inclusive porque, do ponto de vista jurídico, a situação é muito mais clara tendo o precedente que houve em Itabuna, com o Fernando Gomes”. Além disso, o ex-prefeito argumenta que tem conversado com muitas pessoas em Brasília e que tem recebido muitas orientações

Ubaldino disse ainda que durante esse tempo estudou muito e continua estudando mais de quatro horas por dia. E que agora se sente mais preparado.  “Eu estou sendo convocado e não posso ficar de fora. Não é fácil, eu sinto que vai ser duro, os adversários vão dizer que eu não posso ser candidato. Mas eu estou muito animado mesmo. Acho que vale à pena disputar. Eu me preparei pra isso, eu identifiquei onde errei, em detalhes, mas eu não parei”.

© 2020 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade