Para vereadores, novo calendário eleitoral não irá prejudicar campanha

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 18/2020, que adia eleições municipais para 15 e 29 de novembro (1º e 2º turno, respectivamente), prorrogou diversas datas do calendário eleitoral municipal 2020. Com a mudança, os partidos ganharam mais tempo para fazerem suas campanhas, que este ano têm o desafio de chegar ao coração do eleitor de forma diferente, devido à pandemia do novo coronavírus.

Em Porto Seguro, aparentemente as mudanças nas datas não deverão interferir muito, mas a forma de contato com o público poderá requerer novas habilidades dos candidatos. Para o vereador Evaí Fonseca, “é primordial que se tenha o entendimento da pandemia e, por motivo maior, compreender que são famílias, pessoas, vidas que estão em jogo. Temos que colaborar para uma campanha com muita segurança”, enfatiza. Evaí, que está ano seu segundo mandato, filiou-se recentemente ao Partido Progressista (PP) - do qual se tornou presidente - com vistas a concorrer ao Executivo Municipal como vice-prefeito na chapa de Paulinho TôaTôa. Segundo ele, a segunda opção seria uma secretaria dentro do grupo.

Para o vereador, será uma campanha diferente de todas as outras. “Acredito que o corpo a corpo, a visita in loco, a mídia, tudo isso irá contar bastante para que o candidato venha mostrar suas propostas e elas serem bem analisadas pelos eleitores. Mas tudo com prevenção”. Ele considera que o novo calendário não vai influenciar nos gastos de campanha. “Acredito mais na retomada do tempo de campanha, que irá agregar mais.”

Para a presidente da Câmara de Vereadores, Ariana Prates, do Partido Liberal (PL), a mudança no calendário eleitoral não interfere nos resultados. Ela, que está no seu primeiro mandato, é candidata a reeleição, apoiando a candidatura do deputado Jânio Natal a prefeito. “Creio que dias melhores virão. Temos certeza de que Deus quer o melhor para cada um. Estou na luta, vou visitar meu pessoal que vem com a gente em campanha há muito tempo, com todo cuidado em relação à prevenção desse vírus, com distanciamento adequado, máscara, álcool em gel”.  

Tempo de incertezas

A vereadora afirma que, quanto à pandemia, é algo incerto. “Por exemplo, Porto Seguro, no início da pandemia, teve todo o cuidado de se recolher. Justamente quando os números aumentaram, está tudo abrindo. Acertos e erros fazem parte de um momento atípico que ninguém esperava. A gente precisa se adaptar ao momento, e acima de tudo, preservar a vida”, defende.

Já o antigo líder do Governo na Câmara, Dilmo Santiago (PL), afirma que gostaria que a data se mantivesse. “Respeito a decisão do Congresso Nacional, pela questão da pandemia, e o pedido que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) fez ao Congresso. Eu gostaria que a eleição fosse dia 4 de outubro”. Para ele, não existe diferença de custo de campanha. “Se a eleição fosse hoje ou amanhã eu estaria preparado, porque, na verdade, eu não faço política em cima da hora. Faço durante quatro anos. Isso não vai me prejudicar nem ajudar em nada”. Dilmo afirma que o grupo político tem a possibilidade de fazer dois vereadores. “E é por esse motivo eu gostaria que a eleição ocorresse o mais rápido possível. Como será em 15 de novembro, também estarei preparado para, se Deus quiser, conquistar o quinto mandato consecutivo”.

Atual representante do Governo na Câmara, o vereador Rodrigo Borges, recém-filiado ao Partido Social Cristão (PSC), está preocupado com o tempo que a gestão terá para passar o bastão ao próximo gestor. “No meu ponto de vista, na questão da candidatura para vereador, a mudança no calendário não influenciará negativamente em nada. No momento, estamos passando por uma situação difícil, que poderá ser benéfico, caso venha estabilizar os casos do Covid-19. Mas acho o ato prejudicial aos municípios, porque teremos prefeitos eleitos sem conseguir fazer o período de transição”.

Confira novas datas do calendário eleitoral:

31/08 a 16/09: convenções partidárias para definir coligações e escolher candidatos. As convenções podem ocorrer virtualmente.

31/08 a 26/09: registro de candidaturas. Início do prazo para que a Justiça Eleitoral convoque partidos e emissoras de rádio e TV para o plano de mídia.

27/09: Início da propaganda eleitoral, inclusive na internet

15/11: 1º turno das eleições

29/11: 2º turno das eleições

15/12: Último dia para entrega de prestações de contas

18/12: Último dia para diplomação dos eleitos

© 2020 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade