Hotéis e pousadas deverão cumprir protocolo sanitário para reabrir

ABHI está otimista e afirma que Porto Seguro está entre os seis destinos mais cotados para viagens pós pandemia

A rede hoteleira de Porto Seguro se prepara para voltar a receber turistas no início do segundo semestre. Em torno do assunto há uma grande expectativa já que isso significa a retomada da atividade econômica, com vagas de empregos e maior movimentação do comércio. Para o retorno às atividades, hotéis, pousadas e restaurantes deverão estar prontos a cumprir uma série de medidas definidas pelo protocolo sanitário, assunto em debate entre a Abih Regional Extremo Sul e a gestão municipal.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Kerrys Ruas, o plano de retorno da atividade hoteleira do município está começando a se desenhar e envolve muitos setores como as pastas de saúde, assistência social, turismo, comércio e desenvolvimento econômico. “A data ainda não está confirmada porque depende de algumas coisas, mas é provável que os hotéis abram suas portas na segunda quinzena de julho ou na primeira de agosto”.

O secretário afirma que o município precisa estar preparado com mais leitos de UTI e mais testes de Covid-19 para testar as pessoas que adoecerem, e, além disso, tratamento precoce, “que é o que já tem sido discutido e aprovado em reuniões com a equipe de saúde”. Kerrys Ruas disse que um protocolo sanitário junto às barracas de praia, os restaurantes, bares e hotéis vai ter novas exigências de qualidade de manuseio dos produtos, para garantir a segurança à saúde tanto de turistas quanto de pessoas que os atendem.

“Esse protocolo será fiscalizado e os estabelecimentos precisarão ter o que estamos chamando de selo de segurança. Estamos olhado detalhe por detalhe, para não acontecer como em outras cidades, como em Gramado, que abriu e depois teve que fechar o comércio de novo”, disse, afirmando que ainda esta semana, o protocolo deve estar sendo divulgado.

ABIH sugere mesclar protocolo federal com o municipal

Segundo Oliver Abade, presidente da ABIH Regional Extremo Sul, integrada à ABIH Estadual, a associação está trabalhando na “amenização” do protocolo apresentado pela Secretaria Municipal de Turismo. “A ABIH defende que a gente adote o protocolo sanitário federal porque é um protocolo amplo e democrático, no sentido de ter normas passíveis de serem adotadas por várias realidades de empreendimentos hoteleiros”. O protocolo federal propõe o selo do turismo responsável para os municípios que o adotarem. Desta forma, defende Oliver, tanto hotéis quanto pequenas pousadas com administração familiar poderiam seguir as regras. “A nossa preocupação é que seja criado um protocolo onde surjam normas que causem uma insegurança jurídica no trade hoteleiro pela dificuldade de implementação”.

Dentre as novas medidas estão a testagem de funcionários e uso de EPIs; mudança nos restaurantes com a adoção do chamado buffet invertido, em que haverá uma proteção de vidro e o funcionário vai servir os clientes; disponibilização de álcool em gel em todos os ambientes; controle de acesso a refeitório, academias, saunas e área de lazer; utilização do quarto por outro hóspede apenas após um período de 12 a 24 horas; distanciamento entre mesas; proteção aos garçons e funcionários; para os mensageiros, a higienização constante das mãos após carregar bagagens.

“Já está começando um treinamento via Sebrae, com palestras promovidas em parceria coma ABIH, para preparação dos diretores e gestores dos empreendimentos, para que esses possam preparar suas equipes também, no sentido de aplicação das medidas definidas”, afirma Oliver. O presidente da ABIH regional acredita que será um exercício paulatino de adaptação “para que a gente chegue setembro, outubro, novembro e dezembro absolutamente treinados nessa questão do atendimento com os devidos cuidados para evitar contaminação de Covid-19”. Ele afirmou que, só pela CVC, há atualmente 60 mil pacotes vendidos no primeiro semestre, que foram remarcados para o segundo (julho, agosto e setembro). E disse ainda que Porto Seguro está entre os seis destinos mais cotados para viagem no pós-pandemia. “Então temos também uma grande demanda reprimida e o dólar a quase R$ 6,00. Então a gente acredita que, se tudo correr bem, teremos um grande verão e um excelente 2021.”

© 2021 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade