Turismo: crise deve se arrastar e recuperação do setor será lenta

Mesmo com a possível reabertura dos estabelecimentos, incluindo hotéis, restaurantes, barracas de praia e o comércio em geral, prevista para julho, as expectativas de recuperação do setor aéreo e da economia como um todo não são lá muito otimistas.

“Em quatro anos de turismo, nunca vi algo parecido”, revela o diretor de produtos nacionais da CVC, Clailton Armelin, durante a reunião online “A retomada do turismo nacional”, promovida dia 20/05/20, através do aplicativo Zoom. Foram duas horas de uma conversa que contou com a participação de cerca de 170 pessoas do trade, incluindo executivos da CVC Corp, a prefeita Cláudia Oliveira; os secretários de Turismo, Paulo César Magalhães e Saúde, Kerrys Ruas e o diretor regional da ABIH, Oliver Abade. “Estamos passando por momentos difíceis, mas tenho fé que essa crise é para sairmos melhores e mais fortes. Queremos ver o aeroporto aberto e as pessoas chegando para se divertir em nossa cidade”, disse a prefeita. Os primeiros voos da Gol já estão acontecendo. A Azul e La Tam voltam a pousar em Porto Seguro em julho.

Porto Seguro na frente

Durante a reunião, Armelin citou o CEO da CVC, Leonel Andrade, para quem “não adianta a CVC passar para o outro lado do rio, se os nossos fornecedores não conseguirem passar também”. Ele informou que diante da pandemia, a empresa criou 15 salas de crise, com cada um cuidando de um setor e facilitando as remarcações, para reduzir os cancelamentos de viagens. Das 1.400 lojas que a CVC possui apenas 326 estão abertas. “Hoje a CVC é muito dependente das lojas em shoppings e isso está fazendo muita falta”, enfatiza.

Com 6 mil agentes de viagens atuando no mercado, a CVC continua apostando em Porto Seguro, como carro-chefe de vendas da empresa. Além das belezas naturais do destino, entre as vantagens, ele aponta a excelente localização do destino, a poucas horas de voo dos principais polos emissores. “Os clientes vão querer mais ainda ficar menos tempo dentro do avião e Porto Seguro será um dos principais destinos que vamos apostar”, assegura. Ele também acredita que em julho, toda a hotelaria já estará em funcionamento, e alerta para a necessidade de distribuição de cartilhas com protocolos de reabertura, contemplando itens como saúde e higienização dos hotéis, para oferecer mais segurança aos turistas.

O secretário de Turismo, Paulo Cesar Magalhães sobre o trabalho realizado pelo Comitê Operacional de Emergências Municipais (COEM), planejando a reabertura da cidade para o turismo, “com muita responsabilidade e profissionalismo”, com base em critérios estabelecidos pelo Ministério do Turismo, Polícia Militar, órgãos de saúde e trade local. O diretor regional da ABIH, Oliver Abade também destacou a união dos diversos segmentos locais em busca das melhores soluções para voltar a receber os turistas com qualidade, saúde e segurança.

“Tivemos um pouco mais de tranqüilidade de enxergar os próximos passos para a presença da CVC em Porto Seguro. Nossa meta para este ano era de trazer meio milhão de turistas e não vamos tirar isso da cabeça”, destacou o diretor de produtos nacionais da CVC, Clailton Armelin.

© 2021 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade