Companhias aéreas devem trabalhar com 50% da capacidade em julho

A retomada do turismo e a volta dos viajantes para Porto Seguro é hoje o maior desejo dos hoteleiros e demais empresários e trabalhadores do setor, que enfrentam uma crise que ninguém sabe ainda exatamente aonde vai parar. Os cronogramas de retomada apresentados pelas empresas têm sido reavaliados. Em maio, a previsão da La Tam era iniciar as atividades dia 15/06, com três voos semanais. O retorno foi, na verdade, em 11/06, mas com voos apenas às sextas-feiras, às 14:20, e com um único destino: São Paulo.

A Gol também já retomou as atividades e está operando com voos três dias na semana: domingos, terças e quintas-feiras. A Azul afirmou que retoma em julho. De acordo com os profissionais ligados ao setor, mesmo com o recomeço de suas operações, as perspectivas não são das mais animadoras.

Segundo informações do diretor de produtos aéreos da CVC, Fábio Mader durante reunião online promovida pela empresa, no mês de junho as companhias devem atingir em média apenas 12% da sua capacidade de operação. Em julho, sobe para próximo a 20%, com projeção de 12 a 20 voos semanais entrarem em operação. Para se ter uma idéia do estrago provado pela pandemia no turismo e na aviação, em julho de 2019 mais de 500 aeronaves pousaram em Porto Seguro, ultrapassando 250 mil assentos vendidos.

Estudos apontam ainda que a viação civil chegará ao final do ano, em plena alta temporada com média de 50% da capacidade de sua malha aérea voando para Porto Seguro, ou seja muito abaixo das altas taxas de ocupação nesse período, em anos anteriores. “É muito pouco, temos que acelerar esse processo”, afirma Mader. Ele pondera que a malha aérea para Porto Seguro não é tão satisfatória, “por isso investimos tanto em fretamentos para Porto Seguro, que é o destino número um do desejo do consumidor brasileiro”.

Destino top 10

Segundo o diretor, os preços das passagens aéreas caíram no mundo todo, uma tendência que deverá se repetir também no Brasil. “Com o alto valor do dólar, ficou inviável para a companhia aérea deixar avião no chão, é muito mais caro. Mas também não adianta querer cobrar o preço que cobrava antes”, salienta. Os executivos da CVC avaliam que a retomada irá começar pelo turismo doméstico e apontam os destinos de praia como os preferidos pela maioria dos viajantes. “Dos 10 destinos top 10 mais procurados, nove são de praia, o outro é Gramado. Dos internacionais, dos 5 mais procurados, 4 são de praia”, informa Fábio Mader.

Fábio Mader observa que “as indefinições do momento dificultam as previsões”. Assim mesmo, ele analisa que, apesar da crise, Porto Seguro sairá na frente no processo da volta dos turistas e da recuperação da economia.  “Com 40 milhões de clientes cadastrados, estamos trabalhando para criar o desejo no cliente. Porto Seguro é um destino de interesse, mas será tudo novo para o turista. Se dermos segurança, conseguiremos fazer com que a venda aconteça. Os turistas estão entediados e vão querer viajar, mesmo que isso demore um pouco. Não tenho dúvidas que Porto Seguro será protagonista novamente”.

© 2020 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade