Editorial edição 420

Entre o trade turístico e o comércio é grande a expectativa em relação à reabertura das lojas, bares, restaurantes, hotéis e demais empreendimentos que geram empregos e giram a roda da economia na cidade. O grande desafio, porém, como afirmou o diretor de produtos nacionais da CVC, durante reunião online promovida pela empresa, é a indefinição e a incerteza das conseqüências dessa pandemia na vida de Porto Seguro e do Brasil. Sem previsões, ninguém se arrisca a marcar data para tudo voltar ao normal.

Algumas companhias aéreas estão programando retomar seus voos para Porto Seguro em junho e julho. Um ótimo começo de conversa para um grande número de empresários que estão operando no vermelho há mais de dois meses, sem saber aonde isso tudo vai parar. Os mais otimistas, apostam no desejo dos clientes em viajar, após dias e dias de tédio. Vontade é provável que não vai faltar, mas será que as pessoas vão ter dinheiro no bolso e coragem de sair de casa em plena ressaca de uma pandemia?

Uma coisa é certa, quanto mais garantias de segurança o turista tiver, mais estímulo para deixar a proteção do seu lar, em troca de experiências felizes em destinos como Porto Seguro, o número um do desejo de muitos e muitos brasileiros. Pensando nisso, a Secretaria de Turismo, com o apoio das mais representativas entidades locais está trabalhando em um plano para a chamada “retomada” do turismo, a palavra mágica que resume a maior gana de todos nesse momento.

Líderes d a CVC, uma da maiores operadora de turismo do Brasil afirmam que estamos na mesma tormenta. E que nenhum setor conseguirá atravessar sozinho esse temporal. Ou seja, o hotel não consegue abrir as portas, se não tiver a companhia aérea para trazer seu passageiro, que não virá para Porto Seguro se não encontrar barracas de praia, bares e restaurantes para recebê-lo.

Talvez por isso mesmo, Porto Seguro tem dado lições inéditas de união e solidariedade entre os diversos segmentos, em busca de soluções para essa crise insólita que vem abalando as estruturas e desequilibrando caixas e mentes.

© 2020 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade