Sem vacina para todos, continua incerteza sobre volta às aulas presenciais

Com os decretos estaduais proibindo aulas presenciais desde março de 2020 devido à pandemia, as aulas remotas na rede municipal de ensino de Porto Seguro, iniciadas em 8 de março, têm sido a alternativa para a continuidade dos estudos. Mas com o início da vacinação de profissionais da educação desde abril, a expectativa de retorno às aulas presenciais cresce e as dúvidas persistem. Atualmente, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, 100% dos funcionários da educação pública e privada já receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

Mesmo assim, o fato de ainda não haver previsão de vacinação para as crianças e adolescentes em todo o país, ainda é fator de incerteza para pais e alunos enviarem seus filhos para as salas de aula. A dona de casa Girliene Borges, mãe de Sara, 15, aluna do nono ano do Colégio Municipal de Porto Seguro, afirma: “não sinto nenhuma segurança. Acho que só deveria retornar as aulas presenciais depois que todo mundo tivesse vacinado, afinal de contas, os alunos são maioria”. Girliene acredita que, se os estudantes não forem vacinados, não adianta todo o esforço de prevenção da doença.

Enquanto isso os alunos da rede municipal estão tendo aulas no sistema remoto, ou seja, os responsáveis retiram as atividades nas escolas e depois de prontas, devolvem para correção. Na rede particular, os estudantes seguem conectados através de celulares, tablets, notebooks e computadores, recebendo aulas e demais conteúdos de forma on-line. “É complicado, porque se as crianças se contaminarem, trazem os vírus para dentro de casa. Essa vacina tem que chegar para todos. Enquanto estiver esse vírus aí matando, minha neta não vai de jeito nenhum para a escola”, diz dona Elaine Perpétuo, avó de Cecília, aluna do sexto ano.

“Se todos os nossos servidores da educação estiverem imunizados, as taxas de ocupação dos leitos de UTI estiveram baixas, enfim, se a pandemia estiver sob controle no município, podemos pensar na volta às aulas no sistema híbrido, em agosto, com atividades digitais e presenciais”, afirma a secretária de Educação, Dilza Reis. Segundo ela, mesmo diante dos excelentes índices de vacinação dos profissionais, “só voltaremos às aulas no sistema presencial se for de forma muito segura e obedecendo todas as determinações dos órgãos sanitários. Sempre a vida em primeiro lugar”.


Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Escritor e professor da UFSB lança obra no Brasil e na África

Pandemia: tempo para descontruir

Pessoas com deficiência visual recebem aulas de mobilidade urbana

Estudantes podem aproveitar resultado do ENEM para conclusão do Ensino Médio

UFSB inicia três novos cursos em 2021

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar