Casos de Aids crescem mais em Porto Seguro entre os jovens

Em 2019, o departamento IST/Aids e Hepatites Virais da Prefeitura de Porto Seguro registrou, até novembro, 87 novos casos de HIV, números idênticos ao total de casos registrados em todo o ano de 2018. De acordo com a coordenadora do departamento, Beatriz Duarte, a cidade segue a mesma tendência de ocorrências apresentada no país. Ou seja, nos últimos anos, a infecção por HIV cresce mais entre os jovens.

A maioria dos casos de infecção é registrada na faixa etária de 20 a 34 anos. A coordenadora diz que “normalmente, se faz o diagnóstico do HIV após aproximadamente cinco anos de infecção”. E isso demonstra que a infeção do HIV está ocorrendo, em sua maioria, entre os adolescentes, no início da vida sexual. No Brasil, há um total de 18,2 mil notificações. Beatriz alerta ainda que 135 mil brasileiros vivem com HIV e não sabem.

Prevenção e tratamento

O trabalho de prevenção e tratamento é feito pela Secretaria de Saúde, através do departamento IST/Aids e Hepatites Virais - ISTs são infecções sexualmente transmissíveis. Durante todo o ano, são desenvolvidas ações de distribuição de preservativos masculinos e femininos e gel lubrificante, material disponível nas unidades de saúde (postos e pronto-atendimentos); testes rápidos nos postos de saúde e no Centro de Testagem Itinerante (CTA) que funciona de forma itinerante, dentro de um carro, com equipe multidisciplinar.

Esse trabalho visa atender especialmente pessoas que trabalham em horário comercial, profissionais do sexo, travestis, usuários de droga, moradores de rua etc. O teste rápido possibilita, de acordo com Beatriz, “o diagnóstico precoce do HIV, a quebra da cadeia de transmissão (através do início imediato das medicações e aconselhamento) e um prognóstico muito bom para o portador do vírus”.

Existe ainda, segundo ela, um trabalho voltado para adolescentes, chamado Projeto de Formação de Adolescentes Multiplicadores de Informações de Prevenção às ISTs/HIV/Aids. O projeto é desenvolvido pela Cia. de Arte Ed Aquino e atende de 80 a 100 adolescentes de bairros de Porto Seguro. As atividades são semanais e realizadas no contraturno escolar, com muita ludicidade, por meio de teatro, dança e música, e temas como prevenção das ISTs, gravidez indesejada, violência e abuso de drogas.

“O objetivo é fazer com que esses adolescentes multipliquem o que aprendem durante estes encontros, com outros adolescentes, na família, escola e comunidade”, informa. Beatriz afirma que um dos mais importantes indicadores de avaliação do projeto mostra que nos últimos oito anos não foi registrado nenhum caso de gravidez entre as meninas participantes. “Um dado animador”, considera.

Em caso de contato

Segundo a coordenadora, há um trabalho denominado PEP (Prevenção Pós Exposição) para pessoas que tiveram contato com fluido corporal e/ou sangue, em situações como acidente ocupacional, violência sexual ou relação sexual consentida sem o uso de preservativo. É uma forma de prevenção feita com medicamentos específicos para a vítima, tentando evitar que, em caso de contato com o vírus HIV, este não se multiplique no organismo. “A pessoa deverá tomar as medicações por 28 dias e ser acompanhada pelo nosso serviço durante 6 meses”.

O tratamento e acompanhamento de pessoas diagnosticadas com HIV e/ou Aids é feito no Serviço de Assistência Especializada (SAE Ed Aquino), com equipe multidisciplinar formada por médico, pediatra, farmacêutico, enfermeira, assistente social e outros profissionais. Atualmente o SAE atende cerca de 900 pacientes de Porto Seguro e municípios vizinhos. O serviço é referência, junto ao SAE de Eunápolis e de Teixeira de Freitas, para toda a região Extremo Sul.

Casos novos de HIV, em residentes de Porto Seguro, por ano:

2015 – 60

2016 – 92

2017 – 69

2018 – 87

2019 (até novembro) – 87

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2020 - Jornal do Sol - Informação com Credibilidade