Pessoas com deficiência visual recebem aulas de mobilidade urbana

Pessoas com deficiência visual em Porto Seguro estão contando com um apoio especial para se locomoverem pela cidade. São as aulas de mobilidade urbana aos cegos que não têm autonomia e não conseguem andar sozinhos nas ruas, oferecidas pela Fábrica do Ser.

As aulas serão ministradas por alguém que conhece de perto o desafio de não enxergar e ter que enfrentar os obstáculos das ruas, o instrutor Josafá Jesus Santiago, que é conselheiro e secretário da Associação Fábrica do Ser, que atua na defesa dos direitos das pessoas com deficiência.

“Temos no município mais de 4 mil pessoas com algum tipo de deficiência visual. E muitas delas vivem em casa, vivem no anonimato, porque a dificuldade de sair às ruas é muito grande. A falta de acessibilidade é enorme”, afirma Luciene Oliveira, presidente da Fábrica do Ser e do Conselho Municipal das Pessoas com Deficiência (Comped), responsável pelo projeto juntamente com Josafá. Segundo ela, o treinamento foi iniciado com duas pessoas, na Rua da Vala, bairro Cambolo e em seguida será ampliado para mais pessoas do Centro, bairros e distritos.

“Eu ando por aí, pelos bairros e Centro e sei a dificuldade que é para as pessoas andarem sozinhas, mas a gente tem que encarar a realidade não como ela mostra, e sim como ela é. Vou passar pra elas o que eu aprendi”, afirma Josafá, que perdeu a visão com apenas um ano de idade, após receber injeções aplicadas por um médico para combater uma febre.

“Eu fui criado em Arraial d´Ajuda, ali no bairro São Pedro, andando sem bengala, e fui me adaptando à forma como fui criado. Depois aqui no Baianão, com 11 anos, logo no começo do bairro, vivia chutando tocos, me batendo em arames, mas graças a Deus fui aprendendo à  minha maneira”, conta.

Josafá lembra que andou muito com pedestais. “O que é um pedestal? É andar segurando no ombro das pessoas. Para ir ao Centro ou à praia, eu dependia de alguém para me locomover. E hoje, para honra e glória do Senhor, eu aprendi, porque tive também uma professora cega para me ensinar”, conta. Josafá se disse muito comovido quando acompanhou um colega deficiente visual, que por 25 anos andou segurando no ombro dos outros e que agora será um de seus alunos.

“Querer é poder. Quando você quer conquistar um sonho, você conquista, porque você estará abrindo espaço para realizar aquele sonho”, ensina. “E estou aqui para passar para eles o que eu aprendi. Para nós é muito gratificante essa parceria com o Jornal do Sol. Aonde você passar por aí e perguntar onde mora o Gordinho que toca timbau, a galera conhece!”


Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Projeto prevê criação de centros de acolhimento na cidade

Prefeitura realiza mutirão de saúde em Caraíva

Transporte intermunicipal na Bahia será suspenso no São João

Veracel debate ações de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes

Naturalle inaugura centro de tratamento de resíduos em Cabrália

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar