Sesc antecipa festejos juninos com live de Targino Gondim

No sábado, 19 de junho, às 20h, o Sesc Bahia antecipa os festejos juninos com um show ao vivo de Targino Gondim, transmitido através do canal oficial do Sesc BA no You Tube. O forrozeiro apresentará o trabalho “Sou o forró”, com músicas autorais, de grande sucesso como “Esperando na janela”, “Dance forró mais eu”, dentre outras. Targino também fará um passeio também por nomes como Gilberto Gil, Zeca Baleiro e Carlinhos Brown, além de canções de Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Fagner, Alceu Valença e muitos outros. 

Targino Gondim é pernambucano, nascido em Salgueiro, mas com título de cidadão baiano. Foi criado em Juazeiro da Bahia, onde começou uma história marcada pelo amor a cultura e a música popular, tendo Luiz Gonzaga como sua fonte de inspiração e admiração. Traz em seus trabalhos uma musicalidade bem tradicional do cancioneiro nordestino e é ganhador do Grammy Latino, do Troféu Caymmi e do Prêmio da Música Brasileira como melhor cantor.

A apresentação integra a programação do Sesc nas Festas Juninas - um projeto para toda a família e para todos os gostos. Ao longo do mês diversos conteúdos estarão disponíveis nos canais do Sesc Bahia, como passeios turísticos virtuais, bingo, quermesse, aula de forró, oficinas de decoração e culinária, histórias sobre os festejos juninos, entre outros.

Para ficar por dentro de toda a programação comemorativa, siga os perfis do Sesc no Instagram e Facebook.


Texto: Ascom Sesc Bahia - Foto: divulgação

Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Acusados pagam R$ 100 mil de fiança e deixam a prisão

Governo suspende transporte intermunicipal na Bahia durante o São João

Azul anuncia seis novas rotas para Porto Seguro em julho

“Raízes de Porto Seguro” inicia a divulgação dos pratos participantes

Escritor e professor da UFSB lança obra no Brasil e na África

Escritor e professor da UFSB lança obra no Brasil e na África

Éder Rodrigues, mineiro radicado na Bahia, é poeta, artista e professor da Universidade Federal do Sul da Bahia, onde coordena o curso Artes do Corpo em Cena, do Centro de Formação em Artes. Em dezembro de 2020, lançou o livro de poesia intitulado "O Infindável Museu das Coisas Efêmeras" e, neste momento, amplia a divulgação da sua obra na Bahia e também fora do Brasil. No mês de maio, o livro foi lançado junto ao Camões Instituto da Cooperação e da Língua, na República do Cabo Verde, África.

"O Infindável Museu das Coisas Efêmeras", com publicação pela Editora Telucazu,tem 128 páginas e ilustrações de Cláudio Zarco. O autor afirma que o principal motivo que o levou a escrever o livro foi o de “ressignificar a ideia de museu a partir de uma obra literária capaz de desafiar a eternidade das coisas, no caso, justamente com um museu poeticamente inventado para reunir a efemeridade da existência. É capturar o incapturável”, resume.

O livro, lançado pela internet, devido à pandemia de Covid-19, teve a intermediação do escritor cabo-verdense Salif Diallo Silva, e performance poética da cantora Loa Luz, de Porto Seguro. A experiência, segundo o autor, une leitores do Brasil e de Cabo Verde em torno da obra. Ele diz que “tudo o que transborda, o que escapa, o que escorre, o que de nós se dilui com o tempo, faz parte deste museu. O efêmero cria traços e marcas tão impactantes em nossas vidas, assim como as coisas que vão se eternizando na memória. Os poemas estão interligados por um fio condutor efêmero que atravessa e é atravessado exatamente por este traço transitório, provisório, finito”.

O objetivo é elevar ao máximo da potência a experiência sensível que uma obra é capaz de provocar. “Acredito piamente que a experiência do sensível é a única capaz de ressignificar o mundo, o outro e nós mesmos. Este museu foi criado para abrigar a efemeridade das coisas, ainda que o ato de reter o inapreensível desafie a nossa própria existência. O ofício de reunir, conservar e expor foi seguido à risca. Já a maneira de concretizá-lo, não”, filosofa.

O museu oferece múltiplas narrativas, itinerários e sopros. Ao serem tocadas, as peças do acervo se desmancham. Dentro dele, as coisas nunca estarão no mesmo lugar de antes. “A sombra das obras expostas vale mais que suas supostas presenças. O que se mostra frágil é apenas um reflexo do que parece”. Segundo Éder Rodrigues, “este museu surgiu para preservar a natureza efêmera de tudo aquilo que, por não criar essa casca apelidada de memória, deixa de cicatrizar na gente”.

Éder Rodrigues se dedica à arte da escrita há mais de quinze anos. Doutor em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais, é graduado pela Faculdade de Belas Artes da UFMG. Ganhou projeção após receber os prêmios Josué Guimarães de Literatura (2009), que difundiu sua obra na Espanha e Portugal; Off Flip de Literatura (2017 e 2014); Carlos Drummond de Andrade de Poesia Sesc/DF (2011 e 2010); Femup e o Funarte de Criação Literária (2014 e 2010), dentre outras premiações importantes do circuito nacional de festivais e feiras literárias.

Pela autoria do seu último livro “Três Vírgula Quatro Graus na Escala Richter” foi finalista do Prêmio Guarulhos de Literatura em 2019. É autor de mais de 15 obras do gênero dramático. Recebeu o Prêmio Sesc/Sated de melhor texto teatral do ano (2011) pela autoria da peça “A Pequenina América e sua avó $ifrada de escrúpulos”, dirigida pela chilena Sara Rojo e que se tornou uma referência da dramaturgia latino-americana contemporânea. O autor integra diversas antologias e também se dedica à literatura infanto-juvenil, com cinco publicações.


Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Pandemia: tempo para descontruir

Pessoas com deficiência visual recebem aulas de mobilidade urbana

Painéis artísticos valorizam beleza natural na Travessia das Balsas

A alma feminina pelas lentes de um jovem fotógrafo de Santo André

Porto Seguro inspira o talento e a obra do artista mineiro Xanxão

Sesc Porto Seguro promove troca-troca de livros e gibis

Pensando na leitura como vivência afetiva e fonte de informação e conhecimento, dia 29 de maio, das 09h às 16h, a biblioteca do Sesc Porto Seguro realizará pela segunda vez o projeto da Feira de Troca-troca de Livros e Gibis. Na primeira edição, em 2019, foram trocados mais de 50 livros, segundo a direção da instituição. Com o objetivo de promover o acesso ao livro e incentivar a leitura, a iniciativa é um convite à participação de quem quiser: trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo, estudantes, pais, enfim, toda a comunidade, sem limite de idade.

Cada pessoa pode participar levando até 10 livros para trocar por cupons. A participação está condicionada a quem tiver o vale-troca em mãos. Na entrada, devem ser apresentados o cartão Sesc ou RG. Podem ser trocados livros paradidáticos, de ficção, e não ficção, gibis e mangás. Cada livro entregue dá direito a um cupom vale-troca para outro livro disponível na feira.

As obras serão analisadas pelo profissional responsável no ato do recebimento e devem estar em bom estado de conservação. Não serão aceitos livros e ou gibis com manchas, deteriorados, sujos, rasgados, mofados nem pertencentes a outras bibliotecas e instituições ou sendo "livro do professor". A arrecadação dos livros e gibis é até 28 de maio, de segunda a sexta-feira das 08h30 às 16h30. A feira é gratuita.

Todo o evento será realizado de forma a garantir o cumprimento dos protocolos de higiene vigentes no município e no Estado, em prevenção à Covid-19. Todo e qualquer participante deverá usar máscara e respeitar as regras de distanciamento. Mais informações pelo fone (73) 3162-5301, Instagram ou Facebook do Sesc Porto Seguro.


MATÉRIAS RELACIONADAS

Painéis artísticos valorizam beleza natural na Travessia das Balsas

A alma feminina pelas lentes de um jovem fotógrafo de Santo André

Exposição apresenta encontros entre Porto Seguro e Portugal

Porto Seguro inspira o talento e a obra do artista mineiro Xanxão

Bailarina de Porto Seguro é escolhida para Escola de Dança de São Paulo 

Live Solidária reúne dezenas de músicos, no sábado, 29/05

Nesse sábado, 29/05, a partir das 15h, no palco do Toa Toa, acontece a mega Live Solidária com a participação de cerca de 30 artistas da região (veja lista abaixo). A promoção é do Sindmaeb (Sindicato dos Músicos e Artistas da Bahia) e da Ordem dos Músicos da Bahia (OMB-BA). De acordo com Ginho Couto, presidente do sindicado, o objetivo “é arrecadar fundos, cestas básicas e democratizar as oportunidades de apresentação musical, além de levar alegria e esperança ao telespectador de Porto Seguro e do mundo”. “Estamos lutando contra a fome, a proibição do trabalho e para levar boa música para as casas da população”.

A transmissão ao vivo será distribuída em Porto Seguro pela TV Opinião; redes sociais da prefeitura, músicos, parceiros e pelo canal do Sindmaeb no You Tube. O Toa Toa vai distribuir o sinal pelo sistema Sky Line. A live vai apresentar estilos variados, incluindo axé, rock, samba, arrocha, forró, MPB, gospel e muito mais...

O cantor Marcos Val afirma que “está muito feliz em poder levar alegria através da música, ainda mais em tempos tão difíceis. Só em saber que irei contribuir com o alimento na mesa de outras pessoas já me sinto totalmente realizado”, atesta. Seu mais recente trabalho, “Não mexe comigo” já pode ser conferido no canal do YouTub do cantor.

Val acrescenta que vem se preparando com sua banda e equipe para fazer uma grande performance na apresentação. O show pode ser acompanhado também pelas redes sociais do artista.

Segundo os organizadores, “o evento profissional respeitará todas as normas de segurança da vigilância sanitária e que haverá um rodízio de pessoas e profissionais no local a todo instante. Não será permitido a presença de público no local”, diz Ginho Couto.

Artistas já confirmados (em ordem alfabética):

Abel Chaves

Africanidade

Audiobox

Banda Êxodo

Banda Perseu

Banda Revolução

Circo Chacoalha

Elivelton Barreto

Greg Hunter

Gynho Couto

Hérica Paes

Jheremias Barbosa

Jon

Juliano Porto

Lidiane Bezerra

Maicon Mendonça

Márcio Rocha e Banda The Orestes

Marcos Val

MC Ralado

Morcegada

Ney Vocal

Paulinho Ancântara

Samba Incasa

Showcolate

Thainá e Mulheres Xonadas

Tuka de Oliveira

Yã Matos


Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Sesc Porto Seguro promove troca-troca de livros e gibis

Painéis artísticos valorizam beleza natural na Travessia das Balsas

A alma feminina pelas lentes de um jovem fotógrafo de Santo André

Músicos querem lei municipal para regulamentar mercado

Músicos fecham a BR 367 em protesto contra proibição de trabalhar

Painéis artísticos valorizam beleza natural na Travessia das Balsas

A beleza da Travessia das Balsas de Porto Seguro para Arraial d´Ajuda, que já é um grande atrativo turístico da cidade, acaba de ganhar um novo realce, com as pinturas do artista plástico David Arranhado. Nascido em Portugal e formado em Conservação, Restauro e Pintura em Mural, o artista já deixou a marca do seu talento em projetos pelo Brasil, Turquia, México e Estados Unidos. “No ano passado, como eu já estava desse lado do oceano, resolvi voltar ao Brasil, que já estava com saudades”, conta.

David retornou então à Costa do Descobrimento e, por conta da pandemia, acabou partindo com um amigo de barco até o estado de Alagoas, onde passou a imprimir sua arte em espaços públicos, desenhando paisagens e cenas do dia a dia, através do projeto Marinhar. Foi através das redes sociais, que o diretor da Rio Buranhém Navegação, Bruno Barbiero tomou conhecimento do projeto, que casava perfeitamente com seu desejo de embelezar e humanizar ainda mais a travessia.

“Por coincidência, quando fiz contato, o David estava com planos de vir para Caraíva e encaixou perfeitamente”, conta Bruno. Hoje, aos 36 anos, David encontrou o cenário perfeito para retratar a identidade da região. “Eu busco imagens que representam a essência do lugar, cada destino tem a sua paleta de cores. E Bruno surgiu com essa vivência das travessias, que é uma identidade de Porto Seguro e Arraial. Aqui o projeto vem com essa bagagem de mapas, pessoas, paisagens, mar, pesca”, explica o artista.  

O empresário Bruno sempre apostou na harmonia entre o trabalho artístico e a nova estrutura da travessia das balsas, onde já haviam sido instaladas peças com mosaico em azulejos. “A travessia não é apenas um meio de transporte, é também um passeio turístico e a arte ajuda a integrar esses dois mundos separados pelo Rio Buranhém”, observa Bruno, acrescentando que além de valorizar a história e a cultura, os novos painéis realçam o tom de romance da travessia. “E os turistas e moradores gostam desse romantismo”, assinala Barbiero.

 

O diretor da Rio Buranhém, Bruno Barbiero levou a arte de David Arranhado para a Travessias das Balsas

MATÉRIAS RELACIONADAS

Roteiro de turismo rural em Porto Seguro é selecionado para projeto do MTur

“Raízes de Porto Seguro” tem inscrições abertas para festival gastronômico

Festival Música em Trancoso é adiado mais uma vez

Porto Seguro inspira o talento e a obra do artista mineiro Xanxão

A alma feminina pelas lentes de um jovem fotógrafo de Santo André