Brasil terá primeira vacina 100% nacional contra covid-19

 

Após aprovação da Anvisa, imunizante da Fiocruz terá todas as etapas produzidas no país com o IFA nacional

Nesta sexta-feira, 07/01/22, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o registro do insumo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), ou seja, o Brasil terá sua primeira vacina 100% nacional. Todas as etapas de produção do imunizante ocorrerão com o Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) nacional. O IFA é a matéria-prima usada para confecção das vacinas e, até o momento, era importado.

Em janeiro de 2021, a vacina de Oxford, produzida em parceria pela Astrazeneca e Fiocruz, foi aprovada para uso emergencial, obtendo registro definitivo dois meses depois. Desde então, passou a ser um dos principais imunizantes do país utilizados pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, no enfrentamento à pandemia. Até agora, quase 120 milhões de doses da Astrazeneca já foram distribuídas para todo o país.

Para aprovar o IFA 100% brasileiro, a agência realizou diversos estudos de comparabilidade, analisando se a vacina teria o mesmo desempenho que a desenvolvida no exterior. Como resultado, os estudos comprovaram que o insumo mantém a mesma eficácia do produto importado. Desde maio de 2020, a Fiocruz vem produzindo diversos lotes testes que foram submetidos às análises da Anvisa, que já havia feito a Certificação de Boas Práticas de Fabricação do novo insumo, o que garante que a linha de produção cumpre com todos os requisitos necessários para a garantia da qualidade do IFA.

Com isso, foi concluída a transferência de tecnologia feita pela Fiocruz que teve início ainda em 2021. A resolução que autoriza produção da vacina 100% nacional está disponível na versão de 07/01/22 do Diário Oficial da União (DOU).

Vacinação garantida

Dia 06/01, o Ministério da Saúde garantiu a continuidade da vacinação contra Covid-19, com distribuição de mais 7,8 milhões de vacinas para todas as regiões do país na primeira entrega do ano. Nesta primeira remessa, 7,6 milhões de doses da Pfizer/BioNTech e mais de 151 mil vacinas Astrazeneca/Fiocruz serão direcionadas para aplicação de doses de reforço e segundas doses na população-alvo.

O esquema elaborado pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 tem como objetivo que todas as unidades da Federação completem os esquemas vacinais ao mesmo tempo, incluindo as doses adicionais e as doses de reforço. A campanha de vacinação segue em ritmo acelerado. A primeira dose já chegou para mais de 161,5 milhões de brasileiros. Até agora, mais de 144 milhões já completaram o ciclo vacinal.


Com informações do Ministério da Saúde e da Anvisa - Foto: Myke Sena/MS

Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Doação de Sangue: Estoque é 70% menor

Governador anuncia obras de infraestrutura em visita a Belmonte

Porto Seguro tem 346 casos de Covid-19 em isolamento domiciliar

Prefeitura anuncia pacote de obras com ponte para o litoral Sul e bondinho

Vazamento de esgoto atrapalha comércio em Coroa Vermelha

© 2022 Jornal do Sol - Informação com Credibilidade